Médico que concebeu criança com três pais diz que técnica tem interesse mundial

O médico responsável pelo nascimento da primeira criança com três pais diz que a técnica está a merecer o interesse em todo o mundo e que tem recebido pedidos de quase todos os países europeus.
créditos: EPA/BEA KALLOS HUNGARY

John Zhang é um especialista em medicina da reprodução que em 2016 foi notícia após a revista científica britânica New Scientist ter anunciado o nascimento do primeiro bebé do mundo concebido com o ácido desoxirribonucleico (ADN) de três pessoas: do pai e da mãe e de uma dadora.

O anúncio foi feito a 27 de setembro, quando Abrahim Hassan já tinha cinco meses de idade.

O objetivo desta técnica de substituição mitocondrial foi evitar a transmissão de uma doença genética, neste caso a síndrome de Leigh, de cujos genes a mãe era portadora. Após vários abortos e de perder dois filhos, o casal oriundo da Jordânia procurou ajuda na clínica de John Zhang que se dedica à medicina da reprodução.

O especialista explicou à Lusa a técnica que usou, recorrendo à imagem de um ovo, no qual a ‘gema’ (núcleo) contém o ADN que codifica os traços expressados (cabelo, olhos, altura, etc.). “Também há ADN na ‘clara de ovo’ (mitocondrial), que codifica a forma como o corpo funciona, como os músculos crescem, a respiração dos pulmões, o funcionamento do cérebro, etc”, referiu.

Transferência da gema do ovo

Para retirar a doença do ADN mitocondrial, a equipa transferiu a ‘gema do ovo’ da mulher do casal para uma ‘clara de ovo’ de uma doadora, ao qual tinha sido removida a ‘gema’. Tal foi possível graças a “um impulso elétrico especialmente cronometrado para causar a fusão celular, através do qual a ‘gema do ovo’ da doente se ligou à clara da dadora”, disse. Para John Zhang, a técnica exige “uma habilidade excecionalmente alta no laboratório”.

Veja ainda: Os 10 alimentos que as grávidas não podem comer

Comentários