Cidade indonésia quer que alunas façam teste de virgindade

Proposta causa polémica

O titular da educação de uma cidade indonésia provocou indignação nesta quarta-feira, 21 de Agosto, depois de propor que as adolescentes deveriam passar por um teste de comprovação de virgindade para entrar no ensino médio.

Activistas acusaram Muhammad Rasyid de promover a "violência sexual contra mulheres" ao sugerir o plano, após a prisão de seis estudantes do ensino médio por suposta prostituição.

"Se for possível, os testes de virgindade serão realizados no próximo ano", disse Rasyid, chefe de educação da cidade de Prabumulih, na ilha de Sumatra.

Os testes devem afectar estudantes que queiram ingressar no ensino médio. Na Indonésia, país maioritariamente muçulmano, as alunas do ensino médio têm entre 16 e 19 anos.

"Vamos tentar incluir o plano no nosso orçamento de 2014", afirmou sobre a proposta, acrescentando que ainda precisa de aprovação do prefeito da cidade e do parlamento local. "Vamos realizar isso todos os anos".

No entanto, Rasyid afirmou que "há algumas questões de direitos humanos" em sujeitar alunas a testes de virgindade intrusivos.

Esta proposta provocou indignação imediatamente, e o ministro da Educação, Mohammad Nuh, liderou as críticas: "Se quer proteger as suas crianças de influência negativa, há outros caminhos. Isto não é sábio".

"Um teste de virgindade é uma forma de violência sexual contra mulheres", acrescentou Masruchah, vice-chefe da comissão nacional de violência contra a mulher, que, como muitos indonésios, tem apenas um nome.

"É degradante e discriminatório contra a mulher", afirmou.

No entanto, é improvável que a proposta seja adoptada, já que o vice-prefeito da cidade, Ardiansyah Fikri, afirmou que as autoridades locais não a apoiariam.

Mas ele ressalvou que programas de educação religiosa e moral estavam a ser planeadas para desencorajar as pessoas a realizar demonstrações públicas de afecto na cidade.

"OS jovens não são tímidos em relação a demonstrações íntimas em público", disse. "Sua moralidade já está fora de controle", completou.

AFP

22 de Agosto de 2013

Comentários