As tradições natalícias mais estranhas

Vai passar o Natal a outro país? Então tem (mesmo) de ler este artigo para não fazer má figura! É que temos hábitos e comportamentos que podem ser mal interpretados lá fora

Christmas sock on palm tree at exotic tropical beach

Se há uma festa familiar de celebrações e de festejos gastronómicos bem característivos, podemos dizer que é o Natal! Showroomprive.pt, o clube de vendas privadas online internacional especializado em moda, complementos e decoração para casa com descontos até aos 70%, analisou as mais curiosas tradições natalícias de diferentes países do mundo e dá-lhe a conhecer os pontos chave para triunfar com a preparação da sua mesa de Natal deste ano.

Os pratos mais exóticos

Sabe quais são os pratos que se preparam noutros países? Na Alemanha, o menu inclui carne de porco, ganso assado, javali (assado ou em salsicha) e sopa. Já os australianos têm um Natal mais fresco dado que o nosso inverno é precisamente o verão deles triunfando os piqueniques ao ar livre onde é comum comer peru e como sobremesa pudim de ameixas. Na África do Sul, o prato estrela é o arroz com passas e frutos secos, os legumes e a torta de carne moída.

Em França, os escargots, os famosos caracóis, tal como as ostras, são os protagonistas. Nos Estados Unidos da América, não pode faltar o puré de batata (o instantâneo também serve) e o bolo de abóbora. Os japoneses, por seu lado, celebram o Natal com sushi e sashimi, enquanto que em Itália desfrutam o bacalhau e, claro, a massa!

Em Portugal, como bem sabemos, come-se bacalhau, cozido com couves e ovos, apesar das gerações mais novas o preferirem no forno. Também é costume comer peru, polvo e as tradicionais rabanadas, que lideram a lista dos doces, juntamente com as filhoses, os sonhos e as azevias, habitualmente de grão ou de batata-doce. Nos últimos anos, o tradicional bolo-rei com frutas cristalizadas tem vindo a perder terreno para o bolo-rainha, confecionado apenas com frutos secos.

Os talheres que (não) se utilizam

O talher tem um papel muito importante e todos os utensílios devem ser colocados corretamente, seguindo a ordem da refeição, de dentro para fora, com os garfos e as colheres à esquerda e as facas à direita. Relativamente às bebidas, a água marca a posição inicial e coloca-se à frente do prato principal, ficando à sua direita o copo de vinho tinto e o de vinho branco. Mas, se celebra o Natal na Índia, esqueça os talheres e lance-se a jantar utilizando as mãos.

Já noutros países sucede o contrário. No Brasil e no Chile, por exemplo, nunca deve tocar a comida com as mãos. Come-se tudo com os talheres. No Japão, deve-se comer com os pauzinhos, mas cuidado porque é mal visto cruzá-los ou partilhar comida com a pessoa que está ao seu lado. Na Tailândia, nunca se come diretamente com o garfo. Este só é usado para empurrar a comida até à colher. Na Itália, consideram um autêntico sacrilégio comer a massa com a colher.

As regras de cortesia a ter em conta

As regras de cortesia e as boas maneiras à mesa devem andar de mãos dadas. Se falamos de boas maneiras à mesa, existem países que têm costumes estranhos e opostos aos nossos. Por exemplo, no Japão é boa educação fazer o maior ruído possível enquanto se come. Quanto mais ruído fizer, melhor, já que para eles isso quer dizer que está a desfrutar da comida. Por outro lado, nos países árabes e também na China, é boa educação arrotar ao terminar de comer para demonstrar que gostou da comida.

Também na China, é má educação deixar o prato vazio, contrariamente ao que ocorre na Índia, onde é má educação não comer tudo o que estiver no prato. Na Tailândia, não é apropriado tirar a última porção de cada prato e servem a comida em pratos grandes para partilhar entre todos. Na Coreia e no Japão, também não se deve esquecer de tirar os sapatos antes de entrar em qualquer casa.

Veja na página seguinte: Como (não) se comporta um convidado

Comentários