Alimentação contra o frio

Proteja-se de forma natural e viva as estações frias sem ter de se fechar em casa

Se a estação dos «atchins» ainda agora chegou e a sua garganta já se queixa, está na hora de reforçar as suas defesas.

As baixas temperaturas e a maior concentração de pessoas no interior das casas e dos espaços públicos são propícias à sobrevivência e propagação dos vírus através do ar e, por isso, são sinal de que as chamadas doenças de inverno ou infecções respiratórias estão à porta.

Para actuar antes que cheguem é essencial aumentar as nossas defesas, reforçando o sistema imunitário. A chave da prevenção está na alimentação, na adopção de um estilo de vida saudável e no uso de produtos naturais, como infusões de plantas, e de suplementos alimentares, que podem ser uma excelente ajuda.

Na opinião do médico de clínica geralPedro Lôbo do Vale, «é certo que uma alimentação correcta e um bom estado físico ajudam a reforçar as defesas, contudo, tem vindo a ser cada vez mais comprovada a eficácia da toma de suplementos alimentares na prevenção e tratamento das doenças de Inverno».

A dieta que reforça as defesas

A alimentação tem um papel crucial no reforço do sistema imunitário e, segundo Pedro Lôbo do Vale, «deve ser tão diversificada quanto possível, com especial abundância de alimentos hortícolas (cozinhados e crus), frutas, cereais integrais, sementes, leguminosas, peixe, gorduras vegetais e iogurte ou leite fermentado». Dê particular atenção a estes alimentos e ganhe uma saúde de ferro.

Frutas e vegetais

São essenciais para reforçar as defesas e devem estar presentes em todos os momentos do dia. Há que ter em atenção que, cozinhados, podem perder a concentração de vitaminas do grupo B e C (hidrossolúveis). Por isso, sempre que possível, aproveite a água da cocção (como na sopa, por exemplo).

Leguminosas

Ervilhas, favas, feijão, soja, grão, lentilhas... Segundo o especialista «são especialmente valiosas por serem uma fonte de proteína, para além de também serem ricas em fibra e em gorduras insaturadas». O seu consumo regular potencia a protecção do organismo.

Frutos secos

São benéficos para o sistema imunitário por serem ricos «em vitaminas e minerais como vitaminas do grupo B, vitamina E, ferro, zinco, magnésio, fósforo, selénio e cobre, entre outros», refere o especialista. Para além disso, estão associados a uma elevada percentagem de gordura insaturada que contribui para o reforço das defesas do organismo. «Uma forma saudável de consumir frutos secos é combiná-los com cereais», acrescenta.

Leite

Pedro Lôbo do Vale refere que o leite é «uma fonte de proteína, matéria gorda, hidratos de carbono, sais minerais e vitaminas. Como é um alimento muito completo, constitui uma fonte importante quer de energia quer de nutrientes».

No entanto, ressalva que se deve privilegiar o leite de soja, pois «tem a vantagem de também ser rico em aminoácidos essenciais, não ser fonte de gorduras saturadas e ser melhor tolerado, já que muitas pessoas são intolerantes ao leite».

As vitaminas e os minerais essenciais

O sistema imunitário pode ser reforçado através da ingestão de vitaminas e minerais quer através dos alimentos quer através de suplementos alimentares. Conheça os mais importantes, aconselhados pelo especialista Pedro Lôbo do Vale.

Vitamina C: A toma deste nutriente deve ser reforçada com a chegada das estações mais frias, já queesta vitamina tem um papel essencial na função imunitária.Comalaranja, limão, morangos, melão, tomate, salsa, brócolos e espinafres.

Vitamina D: É um nutriente cujos efeitos na prevenção de gripes e constipações tem vindo a ser comprovado. Um estudo recente publicado na revista Archives of International Medicine confirma que o seu consumo poderá diminuir o risco de contrair estas doenças.Comalacticínios, sardinhas, arenque, salmão e fígado.

Zinco: Este mineral é um suporte importante do sistema imunitário. «A sua toma em forma de cápsulas tem demonstrado reduzir significativamente a duração e severidade dos sintomas de constipação», refere o especialista. Coma peixe, marisco, gema de ovo, cogumelos, beterraba, alface, couve, laranjas e alperces.

Texto: Ana Catarina Alberto com Pedro Lôbo do Vale (médico de clínica geral)

A responsabilidade editorial e científica desta informação é da revista

artigo do parceiro: Entusiasmo Media

Comentários