As aplicações móveis, os sites de encontros e as redes sociais são o novo Cupido. Em 2017, 65% dos casais do mesmo sexo conheceram-se online. A percentagem é avançada por um novo estudo levado a cabo por investigadores da Universidade de Stanford e pela Universidade do Novo México, nos Estados Unidos da América. No caso dos heterossexuais, os cientistas falam em 39%. Mas desde 2000 que o número sobe.

Os números de 2018 ainda não estão disponíveis, a tendência é efetiva, asseguram Michael Rosenfeld, Sonia Hausen e Reuben J. Thomas. A informação recolhida foi comparada com a de um outro estudo realizado por dois dos cientistas entre 2009 e 2015 e confirma uma mudança de paradigma. "Antes, as pessoas inventavam histórias para esconder que se tinham conhecido na internet", sublinha Reuben J. Thomas.

"Hoje, já o assumem sem problemas", afirma o professor assistente de sociologia. "Os encontros online são, atualmente, a forma mais comum dos heterossexuais e das pessoas do mesmo sexo iniciarem um relacionamento", garante o coautor do estudo. Ainda assim, em 2013, os casais de géneros diferentes conheciam-se, sobretudo, através de amigos comuns, uma situação que, em menos de quatro anos, se alterou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.