Esta Lua é chamada Lua de Sangue porque fica com um tom avermelhado. Isso acontece porque a luz do Sol se reflete nas partículas que compõem a atmosfera que envolve a Terra, e por isso a luz que é projetada na Lua parece vermelha.

Esta Lua ocorre em simultâneo com um eclipse total da Lua, que é muito especial porque é o maior do século XXI.

Os eclipses totais não são raros, há cerca de dois a cada três anos. Mas este é especial porque é o mais longo do século e porque coincide com a Lua Cheia de Sangue.

Vai durar cerca de uma hora e 40 minutos na sua fase total e pode ser visto especialmente no Médio Oriente, na Grécia e em África. Ao todo, o eclipse levará cerca de três horas e 55 minutos, desde que entra na sombra da Terra até sair por completo.

Em Portugal só vamos poder ver uma parte do eclipse e não vamos ver essa cor vermelha tão facilmente, porque a Lua nasce a partir das 20:30h, quando o eclipse já começou - poderemos ver melhor o eclipse pelas 21:22h.

Este eclipse é o mais longo do século devido às posições em que se encontram o Sol, a Lua e a Terra. O facto de ser mais longo faz com que a energia seja mais intensa.

Os efeitos de um eclipse sentem-se mesmo que não o vejamos, porque estamos a falar de corpos celestes de grandes dimensões, que influenciam energeticamente a vida na Terra.

O que acontece num eclipse?

Os nossos antepassados tinham receio dos Eclipses, achavam que eles previam tragédias e desgraças.

Simbolicamente, os eclipses representam a oposição de forças, a luta do Bem contra o Mal, o início de um novo ciclo.

Os Eclipses trazem-nos muitas vezes descobertas, fazem-nos compreender certas verdades que estavam ocultas ou que não conseguíamos perceber.

Os Eclipses precipitam os acontecimentos, fazem com que situações que vinham a arrastar-se aconteçam de forma mais rápida, obrigando a uma solução.

Num eclipse Lunar a Terra fica entre a Lua e o Sol, e por isso nós vemos a Lua ficar encoberta por uma sombra, que é na verdade a sombra da Terra.

Só há eclipses lunares na Lua Cheia, porque é nessa fase que a Lua se encontra oposta ao Sol, com a Terra pelo meio. Quando estão todos alinhados, quando a Terra está mesmo na linha entre a Lua e o Sol, temos um eclipse lunar. (Nota: há um eclipse do Sol quando é a Lua que se põe entre a Terra e o Sol, ou seja, é sempre na Lua Nova)

A nível energético os eclipses são muito importantes porque a Terra fica exatamente entre a Lua e o Sol, recebendo a energia que é trocada entre ambos.

Qual é o significado astrológico deste eclipse?

Astrologicamente, a Lua relaciona-se com as nossas emoções, e por essa razão muitas pessoas sentem-se mais sensíveis ou têm insónias durante a Lua Cheia.

Porque a Lua está ligada às emoções, os eclipses lunares têm normalmente a ver com as nossas emoções, com as relações, com a vida amorosa, a vida em família, com o lar.

Esta Lua está em Aquário, um signo que apela à liberdade, que procura novas soluções, que é visionário e idealista.

Ela opõe-se ao Sol em Leão, que tem a ver com o ego, com o valor pessoal.

Isso significa que este eclipse vai pôr a descobertos aspetos muito importantes sobre o nosso valor pessoal, sobre o orgulho que temos em nós próprios e também sobre o nosso papel na sociedade.

A Lua recebe uma grande influência de Marte que está retrógrado, que nos diz que é altura para estar parado, para refletir.

Os eclipses muitas vezes revelam aspetos escondidos da nossa personalidade, aquilo que consideramos como fraquezas e que tentamos esconder.

O que podemos esperar desta Lua com Eclipse Lunar?

- Esta Lua de Sangue traz a oportunidade para cortar com velhos hábitos, para arrumar de uma vez com situações que já não fazem parte da pessoa que hoje é.

- O Eclipse Lunar pode fazer com que tenha de cortar com o passado – as próprias circunstâncias obrigam-no a fazer isso.

- Como este eclipse acontece com os signos Aquário e Leão, este corte tem muito a ver com o nosso sentido de identidade, por um lado, e com o seu papel no grupo e na relação com os outros, por outro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.