Regente Numerológico – 15:6
Portais Cósmicos de Desfragmentação de Memória Celular

Dados numerológicos do mês:
- Vibração Universal do ano 2017: 1
- Maio: 5º mês do ano
- Vibração Universal de Maio 2017: 15:6

"O método estoico de enfrentar as necessidades suprimindo os desejos equivale a cortar os pés para não precisar de sapatos." Jonathan Swift
Entramos num mês que nos acolhe desde as suas entranhas. A Primavera está no seu auge mesmo que as condições atmosféricas não o permitam perceber claramente.
Muitas mudanças estão a acontecer mesmo debaixo dos nossos pés e mesmo acima das nossas cabeças.
É nosso trabalho permitir que esses mesmos movimentos da terra e do céu penetrem nas nossas células através dos nossos campos eletromagnéticos, para os podermos sentir nos diferentes níveis de consciência (cada um irá sentir de acordo com a sua própria consciência).
O solo está fértil, a terra está fértil, as abelhas polinizam as flores, o Sol beija a Terra, a Terra sacode-se, abrindo-se desde as suas entranhas para poder dar à luz todos os pequenos rebentos plenos de vida, força e intensidade que crescem na medida em que as plantas, os animais, as pessoas e os seus projectos de vida crescem e se ampliam.
Tudo está em perfeita ordem e harmonia, somos nós que nos encontramos ou sentimos desadequados ante a dimensão poderosa da Natureza, capaz de criar e destruir ao mesmo tempo, sem se demorar a auto congratular-se pelo que conquistou nem a lamuriar-se pelo que ficou para trás.
Somos nós que não nos habituamos aos intermináveis ciclos da Natureza, somos nós que querendo controlar tudo e todos provocamos o desequilíbrio na Natureza.
Somos nós, com as nossas barreiras mentais, crenças completamente desconfiguradas que já não têm qualquer fundamento, mas que continuamos teimosamente a querer manifestar, que dificultamos o processo simples e descomplicado que é SER!
Ser simplesmente. Permitindo-nos Ser, permitindo que os processos de nascimento, crescimento, envelhecimento e morte se realizem em nós e através de nós.
O Número 15 fala-nos do prazer de simplesmente Ser que nos foi roubado, que nos foi retirado, para santificar a paz podre, a falsa beatitude, a incoerência dos comportamentos, a incapacidade de amadurecimento interno...
Por causa desse devaneio castraram-nos e castrámo-nos (a nós mesmos e aos outros), naquilo que é a nossa verdadeira Força, a nossa real energia sexual, onde reside tanto do nosso Poder de Manifestação e de Criação. Por causa dessa castração, sob diversas formas, fomos suprimindo todo e qualquer desejo e sabemos bem o que acontece às forças sublimes da Natureza quando as queremos domar e controlar… São como águas contidas numa barragem… um dia rebentam com as estruturas que as contêm e aí sim, aí surge a destruição!

Agora já não há mais possibilidade de retorno, mas há sempre a possibilidade de escolher se queremos despertar de forma colérica e revoltosa ou se o queremos fazer em paz connosco e com a nossa energia, pela via da aceitação e da humildade.
É tempo de resgatar o poder adormecido do Dragão que jaz nas nossas profundezas, que pacificamente aguarda pelo nosso despertamento interno, em silêncio...
A desfragmentação interna ao nível da nossa memória celular está a acontecer, e todos os habitantes da Terra, todos sem exceção, incluindo a própria Mãe Terra, estão a ser agitados desde dentro das suas águas primordiais. As consciências estão a ser espremidas, esticadas, puxadas para dentro e para fora, por isso não admira que tanta gente se sinta tão mal, tão assustada, tão cheia de medo. As sensações causadas por esta experiência purificadora são sentidas em todos os corpos, dos mais densos aos mais subtis.
Fisicamente sentem-se todo o tipo de sintomas. Num só dia cada um de nós pode sentir mil e uma coisas diferentes, como por exemplo: sensação de gripe, dores de cabeça, coração acelerado, formigamento em diversas zonas do corpo, sensação de desmaio, dormência, sono, cansaço, irritação, quebra de energia, tensão muito baixa ou alta, etc.
No caso de dúvida e de sintomas prolongados, é óbvio que se deve consultar o médico, porém, é quase certo que na maior parte dos casos os seus exames dir-lhe-ão que está tudo bem e por isso não tem nada com que se preocupar.
No entanto, sairá do consultório com bastante desconfiança e até alguma indignação, pois os sintomas continuam lá, por vezes durante extensos períodos de tempo.
Para que serve tudo isto?
Não será este o momento de parar de ter medo, de se sentar tranquilamente, respirando profunda e calmamente, olhando para estes sintomas, buscando através deles a verdadeira causa desse mal-estar?
É chegado o tempo de nos libertarmos da toxicidade gerada pelo terror, pelo medo, pela incompreensão, pela dor, pela autovitimização, etc. ao longo de incontáveis vidas e subsequentes experiências mais ou menos amargas.
É tempo de deixar ir tudo isso e libertar tudo o que em nós anseia por amor, misericórdia, compaixão, cura, perdão, harmonização, alegria, riso, felicidade, responsabilidade, poder de manifestação e assim por diante.
Não é por acaso que este ano, Maio é um mês regido pelo Número 6 que está associado ao plexo cardíaco, ao nosso coração amoroso. Não é só o mês do coração físico. Não é por acaso que é o mês de Maria – da Grande Sacerdotisa, das Grandes Damas Brancas.
É tempo de harmonizar as correntes que trespassam os corações doentes e sem esperança no dia de hoje, quanto mais no dia de amanhã.
É tempo de devolver pão aos famintos e água aos sedentos pela Verdade, saciando-os através da desfragmentação e consequente fragmentação do seu Ser Interno para que se pacifique dentro e se una desde o seu coração com os demais corações, e não falo apenas de corações humanos. Falo dos corações vibrantes das plantas, dos animais, dos cristais, das árvores, das pedras, das montanhas, dos rios, dos mares, dos corpos celestes, dos sóis, das galáxias, dos universos e dos Superuniversos sem fim.
Eva Veigas
Numeróloga Transpessoal
evaveigas@sapo.pt
http://evaeleven.blogs.sapo.pt