Aproveitar a água corrente que utiliza para passar a loiça antes de a lavar e antes de lhe juntar o detergente pode fazer muito mais pelas suas plantas do que julga. Maria Julieta Osório é a prova disso. "Há alguns anos, comprei uma vivenda, construída num local que fora uma quinta. Entusiasmei-me, porque a quinta possuía bastante terreno e eu gosto muito de jardinagem", relata Maria Julieta Osório, leitora assídua da revista Jardins.

"No entanto, tive muitos problemas com o terreno, que é argiloso, duro e muito seco", recorda a jardineira amadora. "A pouco e pouco, toda a espécie de restos de comida, legumes e frutos que tinha foram lá enterrados. Por cima, ia regando com água da louça, a da pré-lavagem com água corrente que fazia no lava-loiça antes de a colocar na máquina, da lavagem de legumes e frutos, restos de chá ou café", revela a assistente administrativa beirã.

Baixar os braços nunca foi hipótese que colocasse em cima da mesa. "Aproveitei o espaço para adubar com o lixo e as águas disponíveis. Nunca desisti", desabafa. À medida que o tempo foi passando, a terra foi ficando solta e leve. "Hoje, tenho um belo jardim, cheio de rosas, hortênsias, gladíolos, buganvílias e muitas outras flores", regozija-se. "Além dessas, tenho também como arbustos, três belas laranjeiras e um limoeiro", enumera.

"A força de vontade foi capaz, não de transportar montanhas, mas de transformar aquela terra dura e seca num jardim que muito compensou a minha persistência", realça. Para ter êxito nesta tarefa, deve, contudo, aproveitar apenas a água corrente da passagem da loiça antes de utilizar detergente, uma vez que este produto integra na sua formulação substâncias químicas nocivas para as suas flores, advertem jardineiros e especialistas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.