A iluminação principal artificial é a eléctrica, embora a luz das velas também nos confira uma agradável iluminação aos espaços. Este tipo de iluminação tem funções especiais: a funcional e estética.

A funcional é importante, embora a estética proporcione mais comodidade e bem-estar. Uma boa iluminação torna qualquer espaço menos impessoal e frio, tornando mais cálido e confortável.

Pode-se dividir em três tipos diferentes de iluminação: ambiente, detalhada e decorativa.

Na ambiente é a iluminação de fundo, geral que produz um ambiente uniforme. Para este efeito utilizaremos candeeiros de tecto ou apliques de parede.

A detalhada é aquela que nos permite obterá quantidade de luz necessária para efectuarmos tarefas específicas como ler, comer…mediante fontes de luz como focos halogéneo, fluorescentes ou candeeiros de mesa ou pé.

A iluminação decorativa é aquela que tem uma função estética, tendo como objectivo realçar um quadro, um móvel, mediante variadas fontes de luz como focos ou apliques, entrando também aqui as velas como elementos decorativos.

Num móvel antigo para evidenciar as talhas ornamentais, as cores de uma tapeçaria ou porcelana, basta uma boa iluminação detalhada a projectar as sombras.

Este tipo de iluminação altera também a percepção do espaço, se for geral fará com que pareça maior, se for detalhada parecera com dimensões mais reduzidas.

Sabendo utilizar a luz adequadamente pode-se criar ambientes independentes ou vários ambientes dentro de um só espaço.

Também é importante a iluminação na decoração de ocasiões especiais. Por exemplo num jantar de amigos, pode-se começar com uma luz suave na sala, de seguida na zona de refeições acompanhar o jantar decorado com varias velas de forma intensa.

Finalizando novamente na sala mas com uma luz mais detalhada criando focos de atenção junto onde reuniu-se o grupo. Criando assim variações de ambientes apenas com iluminação.

Fonte: Sónia Fernandes Silva (Arquitectura e Design)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.