São mais económicas na maioria dos casos, reúnem excelentes condições de habitabilidade, têm baixo custo de manutenção e enquadram-se perfeitamente em paisagens rústicas. As casas de madeira são uma excelente alternativa às construções tradicionais e, hoje, já não têm nada a ver com o que eram há ainda umas décadas. Em Portugal, as casas de madeira são sobretudo usadas como segunda residência ou habitação de férias.

Ao contrário do que sucede em muitos locais, nomeadamente nos Estados Unidos da América e nos países nórdicos, as casas de madeira ainda não têm muita penetração entre nós. Estas constituem, no entanto, opções usadas principalmente em quintas e condomínios privados onde, aí sim, salpicam a paisagem dominada pelas construções em alvenaria. Também já se vão vendo em algumas zonas rurais, no entanto, mais a norte do que a sul.

As casas de madeira têm numerosas vantagens sobre as construções em alvenaria. Além de esteticamente se enquadrarem melhor em zonas campestres ou aldeias, a edificação demora muito menos tempo que a construção tradicional e o proprietário pode optar por projectos standard, conceber a sua própria casa ou alterar modelos existentes. A versatilidade ganha outra dimensão nas casas de madeira porque executar alterações afigura-se tarefa fácil e rápida.

Mas, afinal, quais as principais vantagens das casas de madeira?

Um dos grandes mitos, prende-se com a resistência, a durabilidade e as questões relacionadas com a segurança. Por isso, é importante saber que as casas são feitas com madeiras de excelente qualidade e alta densidade, de modo que em caso de incêndio (um dos principais entraves a esta opção), a queima é lenta, proporcionando controlo imediato. No fundo, as hipóteses deste tipo de casa arderem são praticamente as mesmas que nas construções convencionais.

O charme e o requinte das (novas) casas de madeira

No que diz respeito às condições acústicas, recorde-se que a madeira é um isolante natural e térmico e a espessura das paredes com pelo menos 4,5 centímetros em parede simples ou 11,5 centímetros em parede dupla, são mais que suficientes para garantir o conforto nesta matéria. Outra ideia pré-concebida mas completamente errada diz respeito à segurança e a (im)prováveis invasões por alheios.

Esse é outro mito, sobretudo porque a grande maioria destas casas são apenas utilizadas para fins de semana ou férias, encontrando-se sem ninguém durante grande parte do ano. O certo é que é tão fácil ou tão difícil penetrar através de uma parede de madeira como uma de cimento e tijolos. A segurança está nas portas, janelas e outros acessos e as regras são válidas para qualquer tipo de construção.

Como garantir a segurança nestas habitações

Cabe, assim, ao proprietário adoptar medidas de segurança como a colocação de grades em janelas, sistemas de alarme, contratar os serviços de empresas de vigilância, dotar a casa de alarme, entre outras medidas que de resto são de adoptar em qualquer bem imóvel, tendo em conta as especificidades da localização. Por outro lado, actualmente o período de vida das casas de madeira pode ascender a várias centenas de anos, dependendo, é certo, da matéria-prima e dos cuidados de manutenção.

Regra geral, as casas de madeira são entregues envernizadas e preparadas para habitar mas em vez do verniz, o proprietário pode optar por pintura. É menos rústico, é certo, e em Portugal este tipo de solução não é muito utilizada, mas é possível. Em ambos os casos, a manutenção resume-se à renovação periódica do verniz ou da pintura, assim como à verificação das telhas e calhas.

Recorde-se que existem casas de madeira com mais de três séculos, nomeadamente alguns templos orientais. A possibilidade de infiltrações numa casa de madeira é a mesma que numa casa de alvenaria. Não depende do material de construção utilizado mas da correcta execução do emboço do telhado, do uso de telhas de boa qualidade e da aplicação bem feita de calhas e rufos nos locais indicados.

O apodrecimento da madeira é um perigo real?

O apodrecimento da madeira é uma preocupação de quem está a pensar optar por esta solução mas o que pode causar este aborrecimento é o ataque de fungos em presença de humidade constante e em contacto com o ar. No entanto, existem tipos de madeira que se revelam extremamente resistentes a este tipo de ataque, não sendo, porém, uma preocupação a levar em conta. O preço destas casas varia consoante as dimensões e a qualidade da madeira.

Cada caso é um caso mas, regra geral, comparando com as casas de alvenaria, para projectos idênticos, as primeiras revelam-se uma opção mais económica. O mercado das casas de madeira ultrapassa a construção de moradias ou chalés. Este tipo de construção pode também ser utilizado como pequenas casas de apoio ou extensão das de alvenaria ou até a simples abrigos de jardim, dotados de todo o conforto e requinte.

O charme e o requinte das (novas) casas de madeira

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.