O Museu do Louvre, em Paris, o mais frequentado em todo o mundo, bateu o seu recorde de visitas este mês, depois de ter servido de cenário ao vídeo de "Apeshit", o primeiro single de "Everything is love", o álbum que Beyoncé gravou com Jay-Z. Apresentada ao mundo no passado 16 de junho, a gravação inspirou o mais novo percurso temático daquele espaço museológico e, desde essa altura, não para de atrair visitantes.

"No dia em que o vídeo saiu, de repente, passámos a ser glamorosos e hiper sexy. Em vez de três voluntários para uma visita, passaram a ser onze. Em regra, não aguentam mais de 40 minutos. Desde essa altura, passaram a demorar cerca de duas horas", disse ao jornal Le Parisien Pierre-Hadrien Poulouin, um dos responsáveis pela coordenação do programa de visitas para jovens problemáticos que o museu promove.

"Conseguimos chegar a muitos jovens graças a esse vídeo", assegura. A estreia do videoclipe de Beyoncé e Jay-Z, que só no canal da cantora no YouTube já soma mais de 90 milhões de visualizações, coincidiu com a exposição retrospetiva "Delacroix 1798-1863", dedicada à carreira do pintor romântico Eugène Delacroix. Com mais de 540.000 bilhetes vendidos, é a mais vista de sempre no Museu do Louvre.

A elevada procura levou mesmo a direção do museu a permitir "onze sessões noturnas excecionais e gratuitas, que atraíram [mais] 25.000 pessoas", como revelou Pierre-Hadrien Poulouin. "A Gioconda" de Leonardo da Vinci, "A intervenção das sabinas" de Jacques-Louis David e "Vitória de Samotrácia", da autoria de um escultor desconhecido, são algumas das obras de arte que surgem no vídeo e que integram o novo roteiro do museu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.