Crianças com menos de dois anos de idade são capazes de reconhecer os adultos que lideram e os que abusam do seu poder, escudando-se na agressividade para impor medo. Um novo estudo publicado na revista Proceedings, e liderado por Renée Baillargeon, psicóloga e especialista em infância da Universidade de Illinois, Estados Unidos, assegura que as crianças também conseguem distinguir as bases do poder exercido pelos adultos.

Para chegar a esta conclusão, a investigadora partiu de uma teoria apelidada de “violação das expectativas”, segundo a qual os bebés prestam mais atenção, e por períodos mais longos, a acontecimentos que contradizem as suas expectativas ou que os surpreendem.

Para isso, Renée Baillargeon criou uma série de animações com personagens de desenhos animados a interagir com um indivíduo retratado como “o líder” e depois com um “perseguidor”. Durante a experiência, os bebés de 21 meses puderam ver como este último personagem dava ordens a outros, que inicialmente obedeciam. De seguida, este abandonava a cena e os personagens continuavam a sua rotina.

A verdade é que as crianças denunciaram uma clara “violação da expectativa” quando os protagonistas desobedeceram ao líder, mas não quando desobedeceram ao perseguidor. Esse resultado foi repetido em experiências semelhantes, mas as diferenças na aparência física entre o líder e o agressor foram eliminadas.

Segundo Renée Baillargeon, isso mostra que, em geral, os bebés esperavam que os protagonistas obedecessem ao líder mesmo quando ele não estava presente no palco. Quanto ao agressor, a obediência dependia da sua presença ou não, que os outros só respeitavam sob a ameaça de um castigo (medo).

Uma terceira experiência foi realizada para verificar se as crianças respondiam à simpatia dos personagens, e não ao seu status de líderes ou intimidadores. Segundo Baillargeon, nessa situação, os bebés esperavam que os protagonistas desobedecessem “muito provavelmente porque o personagem não tinha poder sobre eles”.

Estas novas descobertas confirmam estudos anteriores, que mostram que os bebés podem detetar diferenças de poder entre indivíduos: “Eles entendem que os líderes inspiram respeito mesmo quando não estão presentes, ao passo que os abusadores têm de se mostrar para provocar medo e obediência.

Para saber mais:

https://www.hoy.es/padres-hijos/bebes/bebes-distinguen-lideres-abusadores-20180904012238-ntrc.html

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.