Ainda nem sequer sabem falar e já estão preocupados com a opinião dos outros. Um estudo recente, publicado na revista Developmental Psychology, garante que, aos 24 meses, os bebés já se preocupam com o que os outros podem pensar a seu respeito. Incrível? Sem dúvida. Esse comportamento seria esperado a partir dos quatro ou cinco anos de idade. e não tão cedo. Mas a revelação vem reforçar a ideia de que os bebés “tendem a ser muito mais inteligentes do que pensamos”, como sublinha um artigo do jornal El Periodico.
Sara Valencia Botto, investigadora da Universidade de Emory, em Atlanta, e principal responsável pelo estudo, explica: “Com 24 meses, as crianças não só estão conscientes de que as outras pessoas podem estar a avaliá-las, como são capazes de alterar o comportamento para obter maior aprovação”.

Philippe Rochat, professor de psicologia da mesma universidade e co-autor do estudo, acrescenta: “Há algo incrivelmente humano na forma como somos sensíveis às opiniões dos outros. A nossa preocupação com a gestão da imagem e a reputação é um dos motores da mente humana”.
Os autores do estudo usaram um conjunto de experiências para analisar a forma como as crianças modificam o seu comportamento perante as expectativas dos outros. Nesse sentido, deram a cada bebé um robô para brincar, com controle remoto, e deixaram-no pressionar os botões enquanto iam monitorizando as suas reações. As crianças revelaram-se mais desinibidas quando acreditavam que ninguém as estava a observar. Um comportamento que se foi alterando à medida que perceberam que os cientistas os controlavam.
Numa fase posterior, os autores da pesquisa analisaram as ações dos bebés perante manifestações positivas (um grande sorriso) e negativas (uma careta) ao seu comportamento. E concluíram que as crianças passavam a agir com base naquilo que antes provocara sorrisos, evitando os gestos que antes tinham desencadeado caretas. As crianças até aos dois anos já demonstravam preocupação com sua reputação, mudando o comportamento para evitar a rejeição.
“Gastamos imensos dinheiro em maquilhagem e design, temos medo de falar em público e obedecemos aos padrões da sociedade porque estamos preocupados com a forma como somos avaliados pelos outros”, afirmou Sara Botto, rematando que tudo esse processo começa desde o berço.

Saiba mais aqui:
http://www.apa.org/news/press/releases/2018/08/toddlers-care.aspx