Emily Dover surpreendeu os médicos do Hospital de Wyong, em Nova Gales do Sul, na Austrália, após entrar na menopausa aos cinco anos de idade. Emily foi diagnosticada com acne aos dois anos, pouco depois começou a ter seios e aos quatro já era menstruada, escreve a revista Newsweek.

"Ela nunca teve a oportunidade de ser uma menina pequena. Teve de aprender aos quatro anos a usar pensos higiénicos", contou Tam Dover, a mãe da criança, ao jornal britânico The Mirror.

Emily Dover foi diagnosticada com um caso severo de Puberdade Precoce, para além de ter doença de Adison. "É difícil explicar-lhe o que está a acontecer. Ela só sabe que é diferente e muito mais crescida do que as outras crianças", acrescenta a progenitora ao referido meio de comunicação social.

Veja ainda: 22 doenças muito estranhas

Saiba mais: 15 doenças que ainda não têm cura

A doença de Addison caracteriza-se por ser uma desordem nas glândulas endócrinas responsáveis pela produção de várias hormonas como a adrenalina e o cortisol. Além das alterações corporais, Emily sente também as mudanças comportamentais e de emoções habituais emalgumas mulheres durante o ciclo menstrual.

Também conhecida como insuficiência adrenal primária e insuficiência adrenocortical primária crónica, esta doença é uma endocrinopatia potencialmente fatal caracterizada pela produção insuficiente de hormonas esteroides pelas glândulas adrenais.

Sem dinheiro suficiente para poder ministrar o tratamento mais eficaz para a filha, Tam Dover criou um peditório virtual na plataforma GoFundMe para cobrir as despesas médicas envolvidas no tratamento da criança.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.