No Verão, há os banhos de mar e piscina. Mas o que será que existe no Outono que faz aumentar os casos de otite entre os mais novos? Um conjunto de especialistas em aparelhos auditivos fez uma lista das principais causas da doença para o jornal ABC. Saiba quais são e que cuidados adicionais devem ser tomados.

Diminuição das temperaturas

No Outuno, a descida das temperaturas leva ao aparecimento de constipações e gripes, quadros muito propícios à proliferação de otites. O excesso de muco acaba no pavilhão auditivo (orelha), que pode ser facilmente infetado, sobretudo no caso dos mais novos. As pequenas dimensões do canal de Eustáquio facilitam a passagem da mucosa e bactérias nasais e da garganta até o ouvido médio. No caso das constipações, é aconselhável ensinar a criança a assoar-se bem (ou mesmo ser o adulto a fazê-lo) para evitar que o muco chegue ao ouvido por pressão.

Má higiene auditiva

Durante os períodos de aumento da formação de muco, e quando não há uma limpeza correta dos ouvidos, a cera acumulada pode ser uma fonte de infeção provocada por diferentes bactérias. Utilize soluções de sal ou água do mar e limpe corretamente os ouvidos da criança após o banho, não deixando que eles permaneçam húmidos.

Uso indevido de cotonetes

A sua utilização para retirar o excesso de cera ou limpar as orelhas pode ter consequências negativas e até acelerar o aparecimento de uma otite. Os especialistas explicam que introduzi-lo de forma mais profunda na orelha, de forma a remover a cera, pode acabar por compactá-la e ajudar a criar um tampão que contribui para o aparecimento de uma infeção. Também é suscetível de provocar lesões no tímpano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.