Saber que vai ter um bebé prematuro é sempre uma notícia preocupante. Mas relativamente comum. A gestação costuma desenrolar-se em 40 semanas, sendo que, antes das 38, os bebés são considerados prematuros. Quanto mais tempo estiverem na barriga da mãe, melhor. Mas quando o processo é impossível de reverter é importante estar preparado.
Existem cinco momentos chave com que todos os pais se vão confrontar, como refere um artigo do jornal ABC. São eles: receber a notícia; esperar pelo nascimento; ver nascer o bebé; assistir aos primeiros momentos; pensar no futuro da criança.
Os progressos da medicina têm baixado significativamente a taxa de mortalidade neonatal, mas não conseguiram ainda erradicar o aparecimento de algumas sequelas em crianças prematuras. As técnicas de reprodução assistida e o aumento da idade das mães, por seu turno, têm contribuído para o aumento do número de bebés que nascem antes do fim da gestação.
Eis alguns conselhos que o neuropediatra Manuel Antonio Fernández forneceu ao ABC para enfrentar cada momento deste processo com uma atitude otimista.

1. A notícia

A resposta dos pais é sempre inesperada. Muitos fatores interferem na sua reação. Alguns dependem dos próprios pais, outros do ambiente que os envolve, havendo ainda que ponderar questões relacionadas com a forma como é dada a notícia. A atitude mais sensata é seguir as indicações da equipa médica responsável pelos cuidados da mãe e do recém-nascido.
“O segredo para superar esta etapa com sucesso é manter a calma, confiar e partilhar dúvidas e preocupações com a equipa médica para ter todas as informações necessárias atualizadas, procurando neutralizar preocupações ou inseguranças”, salienta Manuel Antonio Fernández. “O cuidado físico e emocional da mãe e do futuro bebé são essenciais.”

2. Esperar pelo momento

Por vezes, é possível retardar o processo de nascimento ou, pelo menos, atrasá-lo para permitir o máximo desenvolvimento do feto. O ambiente do útero é o mais favorável para proteger a saúde do bebé. As horas, dias ou semanas que decorrem antes do nascimento são muito intensas. Por isso, é importante enfrentá-las de forma positiva e com esperança. O segredo para superar esta fase é sentir que se está em boas mãos. “Há vidas em jogo e as apostas estão fora de questão; a mãe e o pai têm de ter a certeza de que vai tudo correr bem”, sublinha Fernandez.

3. Hora do parto

É a chamada hora da verdade. Seja uma gravidez única ou múltipla, os passos a seguir são semelhantes, sendo que quanto maior o número, maior o risco. Nascer antes do tempo não é apenas uma questão de peso, é também uma questão de maturidade. Trata-se de possuir mecanismos de controlo da vida muito menos maduros do que os de um recém-nascido entre as 38 e as 40 semanas de gestação.
Quanto menos tempo e menos peso, maior o risco. Ver um filho prematuro nascer não é fácil. Um recém-nascido com menos de um quilo, o que cabe na palma da mão e não tem as pálpebras abertas, pode ser uma experiência terrível. O segredo para superar este momento é a esperança. “Esperança de ver um coração bater e ter ali uma criança que precisa da ajuda dos pais. Uma razão para acordar todos os dias e lutar. Um motivo para ser feliz”, diz o neuropediatra.

4. Os primeiros momentos

Nem tudo termina com o parto. Um recém-nascido com menos de trinta semanas vai ter de lutar contra uma série de complicações, riscos e perigos. Pode ter de respirar com o auxílio de uma máquina, ser alimentado por via intravenosa. Enquanto isso, os pais observam o quadro com uma enorme sensação de irrealidade. E de impotência. “A vida é frágil, mas teimosa. A natureza humana resiste à adversidade e os médicos ainda se surpreendem com a nossa capacidade de sobrevivência e recuperação”, reforça o especialista. Nesta fase, é preciso pensar a curto prazo. Hoje, amanhã ... um dia de cada vez. Cada noite passada é uma batalha ganha. “Os dias são longos, mas a luz está já ali ao fundo”.

5. O futuro

É sempre imprevisível. Mas, dizem os especialistas, o mais importante é o empenho no desenvolvimento saudável da criança e o amor que os pais sentem por ela. Cada vez mais, estes bebés transformam-se em adultos saudáveis. Esse deve ser o pensamento constante.