Cerclagem é, nada mais nada menos, do que a colocação de um fio de sutura (um género de pontos) de forma a impedir a dilatação do útero antes do momento expectável. Tal como a própria derivação da palavra francesa, cerclage, o que se pretende é que a zona fique robusta, como que criando um cerco. Este procedimento vai conseguir com que se gere colagénio ( responsável pela cicatrização ou regeneração) no colo do útero tornando-o mais forte.

Este tipo de cirurgia é indicada e recomendada para quando há suspeitas de dilatação do útero (incompetência istmo-cervical) enquanto ainda está a decorrer o tempo de gestação, sendo que deverá ser realizada entre a 12ª e 16ª semana. Não obstante, também se recomenda a cerclagem a mamãs cujo histórico envolva abortos tardios, geralmente acima das 16 semanas, ou em casos de colo uterino menores que 3cm de comprimento.

Os riscos vão depender e variar do timing da cerclagem. Os mais recorrentes são infeções e o rompimento da membrana do saco amniótico, podendo originar um aborto. Não obstante, pode ocorrer um aumento da atividade uterina, irritação do útero, deslocamento da sutura e cicatrização do colo uterino. Com certeza que irá estar a ser acompanhada, mas ter especial atenção e entrar em contacto com o médico se detetar qualquer secreção vaginal com mau odor, manchas de sangue, sangramento ou dor pélvica.

Relativamente à recuperação em si, a mesma em si não difere muito de outro tipo de cirurgia. Muito descanso, não carregar pesos e evitar tudo o que seja qualquer tipo de exercício físico, incluindo relações sexuais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.