À medida que os dispositivos digitais enchem cada vez mais as prateleiras de brinquedos para crianças, a Academia Americana de Pediatria adverte as famílias contra o uso destes dispositivos como substituto dos brinquedos e jogos tradicionais, que alimentam a imaginação e ajudam no desenvolvimento saudável.

A AAP oferece orientação às famílias e médicos através do seu relatório atualizado, "Selecionar brinquedos apropriados para crianças pequenas na era digital", a ser publicado na edição de janeiro de 2019 da revista "Pediatrics" e disponível online desde 3 de dezembro.

O relatório foca-se em brinquedos para crianças, desde o seu nascimento até à idade escolar.

"Os brinquedos evoluíram ao longo dos anos, e os anúncios podem deixar os pais com a sensação de que os brinquedos com uma plataforma virtual ou digital são os mais educativos", afirmou Aleeya Healey, principal autora do relatório.

"A pesquisa diz-nos que os melhores brinquedos não precisam de ser chamativos ou caros, ou que devem vir com um aplicativo. Simples, neste caso, é realmente melhor", acrescenta.

Para a AAP, os brinquedos ideais são aqueles que combinam as habilidades de desenvolvimento das crianças, enquanto estimulam o crescimento de novas habilidades.

Os brinquedos são fundamentais para o desenvolvimento do cérebro das crianças, interações linguísticas, brincadeiras simbólicas e "faz-de-conta", resolução de problemas, interações sociais e atividade física - e são cada vez mais importantes à medida que as crianças passam da infância para a primeira infância, realça a AAP.

"Os melhores brinquedos são aqueles que apoiam pais e crianças ao brincarem, fingindo e interagindo juntos", afirma Alan Mendelsohn, co-autor do relatório. "A experiência não é a mesma com um tablet ou ecrã".

"E quando as crianças brincam com os pais - a verdadeira magia acontece, quer estejam a brincar ao faz-de-conta com bonecos ou blocos de construção ou puzzles".

Os brinquedos eletrónicos, por si só, não proporcionam às crianças a interação e o envolvimento dos pais que são críticos para o desenvolvimento saudável, de acordo com o relatório.

O relatório também abrange considerações de segurança ao escolher brinquedos e a adaptação de brinquedos para crianças com necessidades especiais.

Conheça as principais recomendações da APP

- Reconhecer que um dos propósitos mais importantes do brincar com brinquedos, especialmente na infância, não é educacional, mas sim facilitar as interações e relacionamentos.

- Compreender que o brinquedo mais educativo é aquele que promove interação entre cuidadores e crianças.

- Escolha brinquedos que não sejam demasiado estimulantes e encoraje as crianças a usar a sua imaginação.

- Use livros infantis para desenvolver ideias e brinque ao faz-de-conta com brinquedos.

- Limite o uso dos videojogos e jogos de computador a crianças pequenas. O tempo máximo de exposição ao ecrã, incluindo televisão e o uso de computador, deve ser menor que 1 hora por dia para crianças de 2 anos ou mais, e evitado em menores de 18 a 24 meses.

- Crianças menores de 5 anos devem brincar com o computador ou videojogos somente se forem adequados ao seu desenvolvimento, e devem estar acompanhadas pelos pais ou cuidadores.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.