A polémica que implica Cristiano Ronaldo num escândalo sexual onde é acusado de violar uma mulher, Kathryn Mayorga, parece longe de terminar.

Depois da alegada vítima e do seu advogado terem vindo a público revelar que a roupa interior que esta usou na noite de 13 de junho de 2009, em Las Vegas, desapareceu, foi divulgado na imprensa o acordo proposto por CR7 para que Kathryn não voltasse a falar publicamente sobre o alegado caso de violação.

O documento foi publicado agora pela revista Der Spiegel e revela que Kathryn Mayorga ficou obrigada a retirar as acusações formais contra Ronaldo, a permanecer em silêncio e a aconselhar todos os que sabiam o que tinha acontecido naquela noite a não falarem do assunto. Em troca do silêncio da norte-americana, o"senhor D", nome usado para identificar CR7 no documento, pagaria 375 mil dólares (cerca de 327 mil euros) à "senhora P", a alegada vítima.

Para que o acordo se realizasse era ainda necessário que todas os documentos relativos relativos ao caso fossem destruídos, incluindo o acordo agora revelado.

Kathryn estava apenas autorizada a falar sobre os "alegados eventos" aos seus prestadores de cuidados de saúde, porém teria de fazê-lo sem identificar Cristiano Ronaldo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.