Nunca foram os melhores amigos mas, a dada altura, a relação cordial que tinham acabou. Na biografia oficial que acaba de publicar, "Me", o cantor britânico de 72 anos explica porquê. "Eu costumava gozar [com Madonna] por ela fazer playback em palco mas o problema começou verdadeiramente depois dela ter criticado [Lady] Gaga num programa de televisão americano", esclarece o intérprete de êxitos como "Rocket man" e "Sacrifice".

Na altura, quando lhe pediram para comentar as semelhanças entre o seu single "Express yourself" e "Born this way", a canção que a atriz de "Assim nasce uma estrela" tinha acabado de lançar, Madonna não foi meiga e Elton John, um fã assumido de Lady Gaga, veio a público defendê-la. "As canções são efetivamente parecidas mas não percebi por que é que ela foi tão má. Devia tê-lo aceitado como um elogio", opina o cantor inglês.

"Não me pareceu bem que uma artista consagrada pudesse atacar daquela forma uma cantora em início de carreira", justifica agora Elton John. Semanas mais tarde, em entrevista a um canal de televisão australiano, alegadamente sem saber que já estava a ser gravado, o cantor voltou a criticar publicamente Madonna, que, desta vez, não lhe perdoou. "Eu estava furioso e disse coisas horríveis dela. Dá para perceber que aquilo não faz parte da entrevista, que foi num momento entre gravações, mas foi para o ar na mesma", lamenta o artista, que posteriormente se arrependeu das palavras que proferiu ao entrevistador Molly Meldrum, um velho conhecido.

"Nunca o deveria ter dito. Acabei por [lhe] pedir desculpa", admite Elton John, que continua a ser um grande fã de Lady Gaga. Na nova biografia, o elogio que lhe tece não podia ser maior. "É a única grande estrela deste momento", considera o cantor. "Ela poderia ter uma carreira como a da Barbra Streisand, se quisesse. Ela tem ambição e tem talento a sair por todos os poros do corpo. Está nas mãos dela querê-lo e eu acho que ela quer", afirma.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.