Ruth Garitaonandia é a vencedora do prémio “Mulheres & Fronteiras”, concurso de fotografia organizado pelo Centro Cultural Franco-Moçambicano, no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Mulher e da Semana da Mulher.
A vencedora levou para casa uma máquina fotográfica profissional no valor de 45 mil meticais. Ruth é espanhola, mas vive em Moçambique há 11 anos. Trocar Espanha pelo calor Africano que Moçambique oferece. Não é fotógrafa profissional, mas adora fotografar.

A foto vencedora mostra “a realidade dura das mulheres prostitutas no corredor de Maputo”. Uma situação que sempre despertou a atenção da fotógrafa, “pois para mim não é um trabalho, mas sim uma forma de escravatura”, refere.

Ao receber o prémio Ruth Garitaonandia deixou uma mensagem a essas mulheres “trabalhadoras do sexo” dizendo que: “Todas as mulheres devem lutar pelos seus direitos e deixarem de ser escravas dos homens”.
O concurso foi aberto ao público em geral e aos amantes de fotografia. O objectivo era retratar, em imagens, situações difíceis que muitas mulheres são obrigadas a sujeitarem-se. Concorreram 250 pessoas e mais de 2000 fotografias, mas só 25 foram seleccionadas e expostas.

Sílvia Panguane

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.