Inesquecível, anoite de 29 de Dezembro de 2006. O destino conspirou a favor de Kalinca e Fidel.

Por volta das 20.00 horas, Kalinca pronta para ir ao casamento da colega e amiga Maria Manuel, inesperadamente, decide trocar o lindo vestido comprado para a ocasião pelas famosas calças de capulana. Na companhia da Chida (madrinha do civil), da Dina e da Quitéria, dirige-se à Colete, uma discoteca localizada nos arredores de Magoanine.

Foi na escuridão que a luzinha se acendeu no interior de Kalinca. De repente, os seus olhos vislumbraram um lindo nariz que a deixou encantada. O seu coração então bateu acelerado, prenunciando um acontecimento mágico. Instantes depois, corpo-a-corpo, na magia da dança ao som da música “Vana va Ndota” dos Ghorwane, tocaram-se pela primeira vez e algo despertou um sentimento indomável.

Nesse momento carregado de romance, não apenas trocaram olhares, não partilharam somente a pista, acabaram por trocar também números de celular. Fidel, bem “de nariz empenado”, – segundo Kalinca – sugere que se encontrem no dia seguinte, pois queria ter a certeza de que as luzes da night não o enganavam. Por volta das 4h30, Kalinca despede-se.

Já a saudade a consumia, mas o facto de ter o número de Fidel gravado no coração reconfortava-a. 5h00. Impaciente, Fidel, socorrendo-se da apega de bom cavalheiro liga querendo saber se a princesa chegara bem a casa, pois esta dista bons quilómetros da discoteca.

A 31 de Dezembro, o reencontro já em dia claro desvaneceu qualquer dúvida que a noite tivesse deixado escapar. Ambos têm a certeza de que os seus olhos haviam visto além da escuridão e que Deus os havia feito um para o outro.
Não resistindo mais, partiram no voo para a felicidade, num namoro sem precedentes, que duraria 2 anos, 11 meses e 27 dias.

Se em todas as relações nem tudo é um mar de rosas, Kalinca e Fidel não fogem à regra. Contam que numa altura em que o seu amor resplandecia aos olhos de todos, decidiram que se casariam no Dia de São Valentim, 14 de Fevereiro de 2009, mas uma maldita briga comprometera os planos, levando à forçada separação do casal que teve a duração de dois meses.

Não se deixando vencer por aquela repentina tempestade, acabam por instituir o seu dia de sonhos, 14 de Fevereiro, o primeiro dia em que começam a partilhar o mesmo tecto. “E foi a melhor coisa que fizemos, pois limámos muitas arestas” – confessa Kalinca. – “Outro factor igualmente importante foi que a convivência a dois facilitou a preparação do nosso casamento sem muita influência externa”.

O casal tem dois filhos de relações anteriores, Alan de 8 anos (filho da Kalinca) e Lorena de 6 (filha de Fidel). A expectativa é que, tão breve quanto possível,a magia do amor que os une lhes traga um Giminho.

Kalinca, gestora de Produtos e Serviços Pré-Pago na mcel, é formada em Relações Internacionais e Diplomacia pelo ISRI e actualmente encontra-se a frequentar o 2º Ano de Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos no ISCTEM. Por sua vez, Fidel, ao terceiro Ano do Curso de Geologia viu-se forçado a mudar de especialização, formando-se como técnico aduaneiro, actividade que exerce actualmente na ABIGICO – Despachante Oficial.

A "Noivas & Eventos" estima muita felicidade ao casal e corrobora para que o Giminho não tarda a brindá-los.

Veja as fotos do casamento AQUI

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.