A Miss Universo 2011, a angolana Leila Lopes, foi convidada para ser embaixadora para as Regiões Áridas da Convenção das Nações Unidas sobre o Combate à Desertificação.

Uma nota das Nações Unidas dirigida à Miss Universo felicita-a pela conquista do título, realçando o facto de Leila Lopes ter afirmado no dia da sua consagração que se dedicaria a ajudar o povo angolano sobre diversos assuntos.

O documento acrescenta que Angola é um dos 110 países afectados pela desertificação, um processo de perda de produtividade da terra e da fertilidade dos solos que remete as pessoas à pobreza e a insegurança alimentar, sendo a África o continente mais vulnerável à desertificação e à seca.

«Em face disso (...), gostaria de convidá-la para se tornar embaixadora para as Regiões Áridas da Convenção das Nações Unidas sobre o Combate à Desertificação», refere a nota da ONU, acrescentando que o programa visa sensibilizar, entre os decisores públicos, grupos da sociedade civil, da política sobre a importância do combate à desertificação e degradação da terra, bem como a mitigação dos efeitos da seca.

A nota diz ainda que isso visa dar resposta aos grandes desafios globais, tais como a redução da pobreza, a gestão sustentável da água e dos alimentos/segurança energética, com ênfase para a gestão sustentável dos solos.

Conclui que através do programa espera-se que mais pessoas de diferentes esferas da vida tenham uma compreensão mais ampla sobre a questão referente às terras áridas, para que, por um lado, tomadores de decisões priorizem a gestão sustentável da terra na elaboração de políticas e/ou aumentar oportunidades de investimento e, por outro, o público em geral seja sensibilizado para a causa da desertificação.

A Missão Permanente de Angola junto das Nações Unidas congratulou-se com a decisão da ONU de convidar a Miss Universo 2011 para o posto de embaixadora para as Regiões Áridas, tendo, em mensagem assinada pelo embaixador Ismael Gaspar Martins, representante permanente junto da ONU, felicitado Leila Lopes e manifestado o desejo de que a sua nomeação seja efectivada.

Para a Missão Permanente de Angola, a possível nomeação para esse posto contribuirá para uma aproximação e cooperação entre a Miss Universo e as Nações Unidas, facilitando a materialização do seu desejo de ajudar as pessoas necessitadas e assim contribuir para o desenvolvimento do país.

Por seu turno, a Agência Internacional para o Desenvolvimento Económico felicitou Leila Lopes e o povo angolano pela conquista do concurso Miss Universo 2011, considerando a vencedora «bonita, talentosa e inteligente».

Durante o seu mandato, Leila Lopes vai residir em Nova Iorque, sob os auspícios do Comité Miss Universo.

@Angop/Sol

Fotos: Fábio Setimio/Fotoarena

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.