O facto de ter crescido sob as luzes dos holofotes, tendo a mãe, princesa Diana, sido das celebridades mais seguidas de sempre, faz com que o príncipe Harry não consiga esquecer o impacto negativo que a comunicação social pode ter no crescimento de uma criança. Como tal, este representa também um grande medo agora que é pai.

Harry escreveu um artigo para a Fast Company no qual transparece esta preocupação, que é uma realidade na educação do filho, Archie, de um ano. O duque de Sussex considera que é importante escolher os meios de comunicação, porque muitos incentivam a "crises de ódio, saúde e verdade".

"As empresas que compram anúncios online também devem reconhecer que o nosso mundo digital tem um impacto no mundo físico - na nossa saúde coletiva, nas nossas democracias, na maneira como pensamos e interagimos uns com os outros, em como processamos e confiamos nas informações", explicou.

"Se somos suscetíveis às forças coercivas nos espaços digitais, temos que nos perguntar: o que é que isso significa para os nossos filhos? Como pai, isso é especialmente preocupante para mim", confessou.

Recorde-se que no início deste ano Harry e Meghan Markle anunciaram a saída do núcleo sénior da realeza britânica com fim a mudarem-se para os Estados Unidos. O casal começou uma nova vida do outro lado do oceano, resguardados dos olhares públicos.

Leia Também: Meghan Markle não 'baixa armas' e vence batalha contra jornal britânico

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.