Joana Martins e Rui Maria Pêgo entrevistaram Salvador Sobral, no chuveiro, no dia da Final da Eurovisão 2018. No âmbito do programa ‘Diário de Bordo’, o artista português participou numa animada conversa onde voltou a surpreender com as suas polémicas opiniões.

Rui Maria Pêgo quis saber como se sente o vencedor da Eurovisão 2017, cinco meses após ter recebido um transplante de coração. “Sinto-me bem fisicamente. No outro dia, joguei futebol pela primeira vez em oito anos e é uma sensação muito boa”, respondeu.

Sobre o facto das pessoas serem demasiado preocupadas com o seu estado de saúde, o cantor admite que gosta de sair do país para não ter de viver com o 'excesso de zelo' a que está sujeito diariamente.

“Adoro ir a Paris onde ninguém me conhece. Eu estou lá e as pessoas trata-me mal. Gosto de ser mal tratado pelos empregados de mesa. Uma coisa que aqui não acontece, e ainda bem. Mas eu vivo num mundo que não é real, onde toda a gente tem excesso de zelo comigo.”, acrescenta.

Mais à frente na conversa, sempre animada e cheia de humor, Joana Martins quis saber a opinião de Salvador relativamente aos ensaios dos concorrentes que em 2018 participam no Festival da Eurovisão. A jornalista realçou o facto de, no ano anterior, o português ter feito sempre coisas diferentes nos ensaios, algo que não se repetiu com os atuais concorrentes. “O problema deles é que têm de cantar sempre igual e o que cantam é uma m****”, respondeu, sem papas na língua, o irmão de Luísa Sobral.