Kim Kardashian percorreu um grande caminho no mundo dos negócios. Tal como a própria já referiu diversas vezes, a experiência foi essencial para o seu crescimento enquanto empresária. “Antigamente associava o meu nome a qualquer coisa”, confessou em entrevista à Forbes sobre antigas parcerias. Se, nos dias que correm, é bastante seletiva com os produtos e marcas às quais associa o seu nome e a sua imagem, isto deve-se, em grande parte, ao aconselhamento do marido, o rapper e também empresário Kanye West. “Ele ensinou-se, enquanto pessoa, a nunca fazer cedências e a ter controlo total.” Atualmente está 100% envolvida em todos os projetos que chegam ao mercado, supervisionando ainda todos os aspetos da sua marca: desde o controlo criativo, passando pelo processo de fabrico às embalagens.

Dona de uma fortuna avaliada em 72 milhões de dólares, ainda há quem duvide das suas capacidades. Mas como é que Kim Kardashian lida com as críticas? "Se não tenho nenhum talento, se não faço nada, então como é que consegui a carreira que tenho? E gozo com isso, como quando fui capa da revista Forbes publiquei a hashtag #NotBadForAGirlWithNoTalent (nada mau para uma rapariga sem talento). Não me importo de ser subestimada porque me incentiva. Mas passado algum tempo, fico a pensar, 'A sério, podem dar-me algum reconhecimento.' Podem dizer muitas coisas sobre mim, mas não podem dizer que não trabalho arduamente. Não canto. Não danço. Não represento. Mas não sou preguiçosa", disse em 2016 à revista Forbes que dedicou a sua edição de julho aos novos 'mobile moguls', escolhendo-a como a grande protagonista da publicação devido ao seu jogo de telemóvel.

No mês em que completa 39 anos, fique a conhecer alguns do projetos e negócios mais lucrativos de Kim Kardashian.

Reality-show “Keeping Up With Kardashians”

Foi em outubro de 2007 que estreou, no canal E!, o primeiro episódio do programa televisivo que viria a mudar a vida do clã Kardashian. Inspirado no reality-show The Osbournes, Ryan Seacrest encontrou na família Kardashian o aliado perfeito para recriar o formato. “Lembro-me perfeitamente: ele [diretor de casting] ligou-me da casa deles [Kardashians] no domingo à tarde e disse ‘Isto é uma preciosidade; vais morrer quando vires a cassete. Eles são tão cómicos, tão divertidos, existe tanto amor nesta família e são caóticos”, recordou Seacrest em entrevista à Haute Living em 2015.

O programa, que atualmente vai na 17ª temporada, dedica-se a acompanhar o dia a dia da família Kardashian-Jenner. Ao longo destes 12 anos os espetadores já presenciaram alguns dos momentos mais marcantes da vida do clã, como é o caso de detenções, casamentos, gravidezes, divórcios e traições. “Nunca pensámos que as pessoas iam ter interesse em ver para além da 1ª temporada. É uma grande surpresa e é o grande projeto ao qual me dedico e onde posso ver a minha família todos os dias”, disse a socialite durante a Forbes Women’s Summit em 2017 a propósito do programa que é transmitido em mais de 167 países.

Lojas DASH

Promover a loja Dash. Esse foi um dos principais objetivos das irmãs Kardashians ao assinarem o contrato para o reality-show “Keeping Up With Kardashians”. Recorde-se que a loja, que abriu portas em 2006 em Calabasas, foi o primeiro negócio da família e dedicava-se à venda de roupa. Apesar de a marca ter expandido para outras três cidades ao longo dos anos, o negócio acabou por fechar portas em 2018. “Adorámos gerir a Dash, mas nos últimos anos crescemos muito individualmente”, começou por referir Kim Kardashian num comunicado publicado no seu site oficial onde anunciava o encerramento das lojas. “Estamos ocupadas a gerir as nossas marcas, ao mesmo tempo que somos mães e conciliamos o trabalho com a família. Sabemos que está na hora de partir para outra.”

Jogo "Kim Kardashian: Hollywood"

Criar um jogo em torno do mundo dos famosos e Kim Kardashian. Era este o objetivo da empresa especializada em jogos para telemóveis Glu Mobile que, inicialmente, não convenceu a socialite. “A ideia foi-me apresentada e, inicialmente, admito que foi uma coisa que caiu no meu colo. Não tinha a certeza e foi o meu marido que me incentivou”, referiu em conversa durante a Forbes Women’s Summit. Mas a verdade é que foi uma aposta ganha e os números falam por si. Lançado em 2014, no espaço de dois anos o jogo “foi descarregado 45 milhões de vezes e gerou 160 milhões de lucros”, escreveu a revista Forbes que dedicou um artigo especial sobre esta aventura tecnológica onde nada é deixado ao acaso. Periodicamente, a personagem digital é atualizada de acordo com a agenda pessoal e os looks que Kim Kardashian vai usando na vida real.

App 'Kimojis'

Kimoji - uma junção de Kim e Emoji - foi o nome escolhido para a app lançada pela socialite em 2015. Na altura do lançamento foram disponibilizados 500 emojis que, consoante a época do ano, iam sendo atualizados. Tal como avançou o The Independent na época, o lançamento foi um sucesso tão grande que “se tornou na app com mais downloads 24 horas após o seu lançamento”. Até Kim Kardashian tweetou sobre o assunto. “Apple, desculpa por ter deitado a App Store abaixo”, podia ler-se no Twitter. A app, que entretanto deu origem a uma linha de produtos, está envolvida em maus lençóis.

App oficial

Em 2015, a estrela norte-americana, juntamente com as quatro irmãs, assinou um contrato para o lançamento de uma app individual onde os fãs podiam ter acesso a diversas dicas e conteúdos sobre a sua Kardashian-Jenner preferida. Apesar de gratuita, através de uma subscrição mensal os fãs podiam ter acesso a conteúdos exclusivos. “A experiência incluía livestreams exclusivos, tutoriais de beleza, fotos e vídeos de bastidores, diários, conteúdo sobre moda e mais”, escreveu a Variety sobre a app de Kim Kardashian que deixou de existir em 2019. A publicação acredita que as redes sociais possam ter estado na origem do fim desta aventura que o clã descreveu como uma forma “incrível” de se conectar com os fãs em comunicado.

Linha de maquilhagem KKW Beauty

Em 2017 lançou a KKW Beauty: uma marca especializada em produtos de maquilhagem e cujo primeiro lançamento foi um kit de contorno e iluminador, uma técnica que Kim Kardashian popularizou em 2012. De acordo com o site especializado BOF, a coleção esgotou no espaço de três horas, tendo sido vendidas 300 mil unidades.

“Nos últimos 10 anos, eu e o meu maquilhador Mario trabalhámos na criação de tantos looks diferentes mas o contour sempre foi uma constante. E aprendi com a minha irmã mais nova a começar com apenas um produto e isso resultou”, disse durante o Business of Fashion West Coast Summit. No espaço de dois anos a marca expandiu para outros produtos , como é o caso de lipgloss, bases, pós, sombras de olhos e perfumes, tendo ainda apostado em diversas coleções especiais.

Linha de roupa infantil Kids Supply

Chama-se Kids Supply e é uma coleção de roupa para crianças criada por Kim Kardashian e Kanye West. A inspiração? A cidade de Calabasas, onde a socialite cresceu, e onde é produzida toda a coleção. “Eu sei que há mães que estão ocupadas e que trabalham tanto que não têm tempo para ir à loja. Tenho imenso orgulho em ter começado este negócio com o meu marido”, disse a socialite sobre a coleção que é vendida apenas online.“Muito da minha linha para crianças aprendi ao fazer roupa para os nossos filhos. É algo natural. Essa linha foi planeada com um ano de antecedência. E acho que o planeamento e o facto de ter uma boa equipa ao nosso lado é essencial”, referiu.

Linha de cintas modeladoras SKIMS

Em julho de 2019, Kim Kardashian anunciou que ia lançar uma linha de roupa interior e shapewear. Mas antes da coleção chegar ao mercado, a marca viu-se envolvida numa grande polémica nas redes sociais. O motivo? O nome Kimono Solutionwear. Após ser acusada de apropriação cultural, a empresária acabou por revelar que ia mudar o nome e adiar o lançamento para setembro. "Estou sempre a ouvir, a aprender e a crescer - por isso aprecio a paixão e diversas perspetivas que as pessoas me propõem [...] As minhas marcas e produtos são criados tendo como base a inclusão e diversidade e após muita consideração, irei lançar a minha marca de solutionwear com um novo nome", disse a estrela televisiva num comunicado publicado na sua conta de Instagram.

Apesar da polémica, a rebatizada SKIMS Solutionwear "sucedeu as nossas expetativas com dezenas de milhares de encomendas no espaço de minutos e mais de meio milhão de visitantes [online] com a intenção de comprar", referiu Jens Grede, parceiro e diretor da marca Skims, à revista Forbes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.