A clonagem do folículo piloso pode tornar pessoas que até agora não podiam recorrer ao implante capilar em candidatas para esta intervenção.

Actualmente, 20.000 cabelos é a quantidade máxima que se pode retirar de uma zona doadora, mas alguns pacientes podem precisar de mais de 60.000 para restaurar a sua densidade natural.

Com a clonagem podiam obter-se inúmeros cabelos de uma mesma área doadora. Isto significa que podia haver potencialmente um número ilimitado de cabelos doadores. A técnica é a seguinte: recolhe-se uma amostra do doador e depois isolam-se as células que induzem a formação do folículo.

Estas são multiplicadas em laboratório e, posteriormente, reimplantadas nas zonas despovoadas do cabelo dos pacientes. Como acontece com todas as novas tecnologias, ainda há muitas perguntas por responder e efeitos secundários por paliar. Para além disso, o processo pode ter um custo exacerbado.

E apesar dos especialistas terem obtido resultados satisfatórios relativamente á reprodução de cabelos em laboratório, falta ultrapassar o grande desafio: mantê-los vivos durante mais de um ciclo de crescimento.

Texto: Madalena Alçada Baptista

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.