Tem por hábito remover as células mortas da sua epiderme? Pois, se não o faz, deveria! "Um esfoliante é um produto cosmético ou um material que tem como função esfoliar a pele. Por definição, são agentes que atuam na superfície cutânea causando a remoção da pele em camadas", explica Joana Nobre, mestre em ciências farmacêuticas pós-graduada em dermocosmética, diretora de formação do Ales Groupe Portugal.

Com a ajuda da especialista, conseguimos finalmente perceber para que serve este cosmético de textura granulosa. De acordo com Joana Nobre, "os esfoliantes apresentam mecanismos de ação distintos e podem ser classificados em três categorias":

1. Esfoliantes físicos ou mecânicos

Envolvem o uso de materiais físicos abrasivos e partículas de origem natural (esponjas, açúcar, sal ou partículas vegetais) ou sintética (grânulos de polietileno ou estireno) e atuam pela remoção física de células superficiais da pele. Os esfoliantes mecânicos fazem muito mais do que o simples polimento da pele.

Provocam um stresse controlado que ativa os mecanismos de reparação naturais da pele, promovendo um boost na síntese de colagénio e consequente aumento da firmeza cutânea.

2. Esfoliantes químicos

Comumente designados peelings, usam agentes queratolíticos ou desmolíticos, que fazem uma esfoliação desde a superfície até partes mais profundas da pele. São muito úteis nas peles com hiperqueratose, dermatite seborreica ou acne, pelo seu efeito comedolítico.

3. Esfoliantes enzimáticos

Usam extratos de frutos como a romã, a papaia ou o ananás. Através da esfoliação superficial das células, as suas enzimas diminuem a espessura do estrato córneo. Este tipo de esfoliação é muito útil nas peles mais sensíveis, com couperose ou rosácea, por exemplo, que têm uma fragilidade vascular tremenda. Estudos recentes evidenciam que os esfoliantes enzimáticos são menos irritantes que os esfoliantes químicos.

As melhores formas de os usar

O ideal é que cada pessoa consiga construir o seu ritual ideal de esfoliação. "Tudo depende do tipo e do estado da pele e do tipo de esfoliante. Mas, de uma forma geral, os estudos mais recentes referem que deve usá-lo, pelo menos, uma vez por semana", disse à edição impressa da Saber Viver Joana Nobre. Além disso, convém cumprir as instruções que vêm descritas na embalagem e aplicar o esfoliante na pele bem limpa.

No caso da esfoliação mecânica, para otimizar a sua eficácia antienvelhecimento, deve aplicar o produto com movimentos circulares perpendiculares à direção das rugas, pois promovem o alisamento da superfície imediatamente. Depois é imprescindível recorrer a um bom cuidado hidratante. A utilização de protetor solar todas as manhãs também deverá ser sempre contemplada pelos utilizadores regulares de esfoliantes.

Podendo escolher entre a aplicação de dia ou à noite, a farmacêutica recomenda a noite como o momento ideal para fazer uma esfoliação. De acordo com Joana Nobre, "devemos ter sempre presente que estamos a remover parte da nossa barreira física de proteção e, portanto, se fizermos a esfoliação à noite não vamos estar expostos de imediato às radiações ultravioleta e infravermelha".

Os oito benefícios que a esfoliação garante

O esfoliante é o aliado ideal das pessoas que querem prevenir e contrariar o envelhecimento. A esfoliação é o cuidado de rejuvenescimento que garante o resultado mais imediato na melhoria da aparência da pele, devendo por isso passar a ser um cuidado comum de mulheres e também homens. Além disso, segundo a farmacêutica Joana Nobre, os esfoliantes têm outras qualidades antienvelhecimento:

1. Limpam e purificam a pele, sendo por isso considerados cuidados básicos de limpeza.

2. Auxiliam na renovação celular da pele, pois retiram células da superfície que estão repletas de queratina com baixo conteúdo hídrico e sem vitalidade.

3. Reduzem a barreira física da pele e, portanto, melhoram a penetração dos cosméticos, otimizando o seu desempenho.

4. Uniformizam a textura da pele, melhoram a aplicação e a fixação da maquilhagem, bem como a performance dos autobronzeadores.

5. Dinamizam a microcirculação sanguínea e alisam a superfície cutânea, promovendo uma luminosidade imediata.

6. Estimulam a síntese de fibras na pele, tais como colagénio e elastina, e ainda de ácido hialurónico, uma molécula hidratante e preenchedora por excelência.

7. Regulam o turnover celular. Uma mulher com 40 anos tem um turnover celular que passa de 28 dias para 35 dias. Daqui resulta uma pele mais baça e mais irregular, contrariada pela utilização regular de esfoliantes.

8. Os esfoliantes químicos e enzimáticos atenuam as manchas castanhas, muito comuns depois do verão e em faixas etárias mais elevadas.

Texto: Madalena Alçada Baptista

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.