A nossa sempre tão apetitosa e conveniente sanduíche pode estar a dar um contributo substancial para aumentar as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera. Isto com as consequências nefastas que reconhecemos aos gases com efeitos de estufa.

É isto que crê um grupo de investigadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido que empreendeu o primeiro estudo sobre a pegada de carbono deixada pelas sanduíches. Uma investigação (pode ser lida aqui), citada no jornal britânico “The Guardian” que incluiu as sandes de preparação caseira e industrial.

Nos últimos meses, a equipa de investigadores analisou detalhadamente a composição de 40 sanduíches. Uma amostra que incluiu não só os ingredientes utilizados, mas também todo o ciclo de vida do produto, o que inclui as embalagens, o transporte, a refrigeração e os resíduos resultantes desta produção.

Findo o estudo, os investigadores revelaram os principais inimigos do ambiente no que respeita à pegada de carbono: a carne de porco, onde se inclui o bacon, o presunto e as salsichas estão no topo da tabela que também é partilhada pelo queijo e camarão. Isto nas sandes já embaladas, pré-feitas.

De acordo com o artigo publicado no “The Guardian”, após todos os fatores somados, uma sanduíche com os produtos acima referidos pode gerar até 1,4 gramas de dióxido de carbono (CO2), “o equivalente às emissões geradas pela condução de uma viatura automóvel ao longo de 19 quilómetros”.

O mesmo estudo sublinha que produzir a sanduíche em casa pode reduzir as emissões de CO2 para metade, por comparação com a versão adquirida na loja. Isto considerando que também se opta, no caso doméstico, por produtos de origem local.

Citada no mesmo artigo da publicação britânica, a British Sandwich Association, sublinha que mais de “11 mil milhões de sandes são consumidas anualmente no Reino Unido. Metade delas é adquirida em superfícies comerciais”.

Face a estes números, Adisa Azapagic, uma das autoras do estudo, refere que “o Reino Unido gera anualmente 9,5 milhões de toneladas de CO2”. Isto só com o consumo de sandes.