A água é uma escolha importante: Use uma água mineral leve, com um teor calcário baixo. O ideal seria água pura da chuva (que até já se encontra disponível no mercado das lojas especializadas), sem quaisquer desinfectantes.

Deve escaldar previamente o bule com água acabada de ferver. Então, coloque no seu interior uma colher de folhas de chá por cada pessoa, mais uma por conta do bule. Adicionando água a ferver, cubra completamente as folhas que acabou de pousar no fundo do bule.

Deixe a infusão decorrer por dois ou três minutos. Só então adicionará o resto da água, mexendo lentamente. Este segundo momento deverá prolongar-se por quatro a seis minutos, sendo que os tempos de infusão variam consoante os tipos e qualidade do chá.

Dependendo do tipo de chá, pode acompanhá-lo com limão, leite frio ou natas, que colocará previamente na chávena. Caso pretenda amenizar a bebida, leve para a mesa alguma água quente. Mas coloque-a directamente na sua chávena, nunca no bule.

Se aprecia chá gelado, aproveite para congelar parte do chá em pequenos cubos. Assim, quando os utilizar verá que preservou a desejável concentração do chá.

O chá, embora não tenha uma rigorosa data limite para o consumo, é sensível à luz e ao calor. Por isso, deve armazená-lo em latas hermeticamente fechadas, colocadas em local fresco e seco, e afastado de produtos que exalem odores fortes.

Pode encontrar excelentes chás em mousselines (saquetas), mas é preferível comprar marcas que se apresentem em invólucros de algodão, que não adulteram o gosto na infusão.

Finalmente, poderá parecer um preciosismo, mas fará diferença. O bom apreciador terá um bule para cada tipo de chá: um para os chás pretos da Índia ou Ceilão, outro para os chás pretos não fumados da China, um diferente para os chás verdes chineses e japoneses, e outro ainda outro para os “blends” de chá.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.