É uma das bebidas mais apreciadas em todo o mundo mas não tem forçosamente de sair de casa para a comprar e saborear. Sabe que pode produzir cerveja em casa de forma simples, acessível e económica no conforto da sua cozinha? Basta imaginar-se numa fábrica e combinar as quantidades exatas de extrato de malte, lúpulo e levedura para o conseguir. É mais fácil do que, à partida, julga, asseguram Bruno Aquino e Domingos Quaresma!

De acordo com os autores do livro "Uma viagem pelo mundo da cerveja artesanal portuguesa", publicado pela editora Casa das Letras, a melhor forma de se iniciar passa pela aquisição de um kit pré-elaborado. "São, hoje em dia, facilmente adquiríveis em qualquer loja cervejeira ou através de correio eletrónico e a sua utilização está ao alcance de qualquer um", garante Bruno Aquino, um dos rostos da cerveja artesanal nacional.

Depois de receber o seu, só tem de arregaçar as mangas e executar os passos indicados na embalagem. "Fundamentalmente, basta combinar numa panela um conjunto de ingredientes que aí são fornecidos, seguir as instruções que vêm com o próprio kit e nunca esquecer a higiene e a sanitização", adverte o sommelier de cerveja. "Na verdade, os kits mais não são do que as quantidades exatas de extrato de malte, lúpulo e levedura necessárias à elaboração de uma cerveja. Água quente, alguns equipamentos básicos e paciência durante a fase de fermentação fazem o resto", refere.

Além de uma panela, precisa de um balde de fermentação com borbulhador e torneira, de um termómetro, de um densímetro, de caricas, de garrafas e de um produto desinfetante. Ainda que se possa fazer um tunning a um kit de cerveja, a margem para inovar e dar um toque pessoal à bebida que produziu é, todavia, reduzida. "Pode comprar e adicionar lúpulo extra de modo a dar-lhe um perfil e um toque mais fresco", sugere Bruno Aquino.

A evolução que muitos fazem

A primeira experiência pode ser o início de uma paixão com futuro. "Não é, de facto, vergonha nenhuma assumir que muitos dos cervejeiros começaram pelos kits", sublinham os autores do livro. O problema é que muitos, depois, entusiasmam-se e começam a querer ir mais além, evoluindo para o all-grain, o método de produção tradicional, "onde os açúcares-base vêm da brassagem dos maltes, ao invés de concentrados e extratos".

"Esta é a forma mais pura de produção de cerveja", garantem. "O grande senão desta técnica reside na necessidade de mais tempo e, em especial, na quantidade, no tamanho e na complexidade dos equipamentos envolvidos, o que se traduz num maior investimento financeiro inicial", avisa Bruno Aquino. "A maioria dos cervejeiros que começaram com kits e extratos produzem, hoje em dia, cervejas all-grain", sublinha o especialista.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.