A promoção da saúde e bem-estar está a tornar-se uma prática comum em muitas empresas. Um dos fatores que tem contribuído para a crescente preocupação é a forte associação de problemas de saúde ao stress no local de trabalho.

A verdade é que o inverso também é verdade: o stress pode estar a deteriorar a empresa, implicando uma fortuna em perda de produtividade, faltas e reclamações junto das seguradoras de saúde. Desta forma, as entidades empregadoras estão cada vez mais atentas à necessidade de implementação de programas de bem-estar, como uma forma de manter a sua mão-de-obra saudável.

Porque é que existem tantos colaboradores stressados?

Existem inúmeros fatores que poderão estar por detrás deste problema, como por exemplo uma fraca cultura ou gestão. A tecnologia também tem aqui um papel crescente, uma vez que nos dias de hoje é praticamente impossível “desligar.”

Num inquérito realizado o ano passado pela Michael Page, 78% dos portugueses questionados admitiram trabalhar fora do horário laboral e 61% disseram trabalhar nas férias.

Grande parte do trabalhado termina em casa. Se não for definido um tempo de pausa, a possibilidade de um burnout é iminente.

Empresas focam-se em Cuidados de Prevenção

Atualmente, já começa a ser prática comum para os empregadores utilizarem um programa de bem-estar como uma estratégia de prevenção de possíveis baixas. Serviços como gestão de stress, aconselhamento, coaching, nutrição, gestão financeira, fitness ou meditação são algumas das ofertas disponibilizadas. Estes benefícios incentivam os colaboradores a desenvolverem hábitos saudáveis e a preocuparem-se com a sua saúde e bem-estar.

Os desenvolvimentos científicos sobre os benefícios da atividade física no cérebro humano também têm sido alvo de várias discussões no mundo da saúde e bem-estar. Está provado que a prática de exercício é importante tanto para a saúde física, como para a prevenção de doenças mentais, tais como depressão, Alzheimer ou demência, e melhoria das funções cognitivas.

Um programa de saúde e bem-estar não previne apenas as doenças físicas e mentais, este contribui igualmente para um aumento do desempenho laboral do colaborador. Um estudo da Universidade de Briston, no Reino Unido, demonstrou que quem pratica atividade física tem uma capacidade de concentração 21% superior, 22% são mais prováveis de acabar o seu trabalho no prazo estipulado, 25% provou ser mais capaz de trabalhar sem pausas pré-estabelecidas e são ainda os mais motivados (41%).

Por isso, permitir aos colaboradores uma pausa para ir ao ginásio ou a uma aula durante o dia, poderá na realidade ser bom para o negócio. A adoção desta prática poderá resultar em menos dias de baixa por doença e num aumento de energia no local de trabalho.

A personalização é a chave para um programa de saúde e bem-estar de sucesso

Muitas empresas já estão a desenhar os seus escritórios para que incorporem espaços de saúde e bem-estar, como por exemplo, ter um ginásio dentro das instalações, opções saudáveis de snacks, salas de meditação e sesta. Embora estas sugestões possam parecer a cereja no topo do bolo, infelizmente não representam a solução final.

O objetivo da implementação deste tipo de programas é ajudar a que os colaboradores desenvolvam hábitos saudáveis e que se prolonguem para além do horário laboral. Ao financiar contas de saúde e bem-estar (como se fosse uma mesada ou um outro “cartão-refeição”), as empresas estariam a oferecer flexibilidade e apoio financeiro para serviços e atividades fora do escritório.

De igual forma, não existe um programa de “tamanho único” para todos. Não existem dois colaboradores iguais, pelo que a chave está na personalização. Disponibilizar “contas fitness flexíveis,” é uma boa forma de otimizar esta despesa, já que a mesma permite que sejam os colaboradores a criar e definir o seu programa. Existem ainda empresas que adicionam a este serviço, consultas de nutrição ou coaching, dando a liberdade de escolha aos seus colaboradores.

Em suma, implementar um programa de saúde e bem-estar é tão importante para o bom funcionamento de uma empresa, como para o seu sucesso a longo prazo. Da mesma forma, a adoção desta prática irá fomentar não só a cultura da empresa, como a vida dos colaboradores.

Fonte: ClassPass

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.