Cientistas acabam de contribuir para a troca de galhardetes na batalha de sexos sobre a temperatura do ar condicionado do trabalho, ao descobrir que o cérebro das mulheres funciona melhor em temperaturas mais altas.

Os homens, por outro lado, trabalham melhor quando a temperatura é mais baixa, de acordo com o estudo publicado na revista científica PLOS One.

A investigação, realizada na Alemanha mas conduzida pela universidade americana USC Marshall School of Business, em Los Angeles, testou a capacidade de 500 homens e mulheres realizarem uma série de tarefas numa variedade de temperaturas.

Em temperaturas mais altas, as mulheres têm melhor desempenho em matemática e tarefas verbais, enquanto o inverso é verdadeiro para os homens.

Locais de trabalho com homens e mulheres podem aumentar a produtividade colocando o termostato numa temperatura mais alta

Para as mulheres, o aumento no desempenho durante o trabalho em temperaturas mais altas foi "significativamente maior" do que a diminuição no desempenho masculino, o que - dizem os cientistas - aponta para benefícios gerais na subida da temperatura do ar condicionado.

"As nossas descobertas sugerem que os locais de trabalho com homens e mulheres podem aumentar a produtividade colocando o termostato numa temperatura mais alta do que os padrões habituais", concluiu o estudo.

Os resultados podem representar um conforto para as mulheres que muitas vezes são obrigadas a usar um casaco extra para se manterem aquecidas nos seus escritórios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.