A necessidade da prática de exercício físico no local de trabalho ou fora do mesmo, surge na era da Revolução Industrial. A partir desta época, o número de funcionários com lesões por esforços repetitivos e distúrbios osteomusculares relacionados com o trabalho aumentaram consideravelmente.

As tecnologias geram consequências e impõem uma nova rotina, por norma sedentária, passam muitas horas na mesma posição e quase sempre a repetir os mesmos movimentos.

Actualmente muitos trabalhadores são submetidos a tratamentos, por razões provocadas pela postura incorreta no trabalho e/ou pela pressão psicológica de situações competitivas.

Surge então a necessidade da criação de atividades que actuem direta e especificamente na prevenção de doenças nos sistemas muscular e nervoso dos trabalhadores.

A crescente preocupação das empresas com a saúde e desempenho dos seus funcionários faz da ginástica laboral uma óptima oportunidade de trabalho para os profissionais de Educação Física.

Capacidade funcional

A ginástica laboral realizada no local de trabalho tem como objetivo proporcionar ao funcionário uma melhor utilização da sua capacidade funcional através de exercícios de alongamento, de prevenção de lesões e outras dinâmicas.

Para motivar os colaboradores, muitas empresas oferecem inscrições em ginásios que apostam numa variedade de aulas de 30 minutos em estúdio e em mini sessões de 10 minutos no espaço ginásio para aquecer e alongar correctamente.

Estas modalidades ‘curtinhas’ foram estudadas exatamente para oferecer a possibilidade das pessoas poderem fazer um treino equilibrado dentro de períodos horários mais reduzidos. Os objectivos principais para a implantação destes programas visam uma diminuição do stress, sedentarismo e melhoria da postura.

Tipos de Exercício

1. Preparatória
Realizada antes das primeiras horas do início do trabalho. É constituída por aquecimentos e/ou alongamentos. O objectivo é aumentar a circulação sanguínea, lubrificar e aumentar a viscosidade das articulações e tendões. Geralmente tem duração de 10 minutos.

2. Compensatória
Realizada no meio do período de trabalho – hora de almoço e/ou ao final do dia, como uma pausa ativa para executar exercícios específicos de compensação. Praticada num período de 30 minutos (mínimo), utiliza exercícios de descontracção muscular e relaxamento, visando diminuir a fadiga e prevenção de doenças crónicas.

Benefícios para o Funcionário

A prática de uma actividade física combate e previne as lesões por esforços repetitivos e distúrbios osteomusculares relacionados com o trabalho.É uma arma contra o sedentarismo, stress, depressão e ansiedade. Também melhora a flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e resistência, promovendo uma maior mobilidade e postura.

Além disso, reduz a sensação de fadiga no final de um dia de trabalho, contribuindo para uma melhor qualidade de vida. Outro factor importante é o favorecimento relacional e o espírito de equipa, desenvolvendo a consciência corporal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.