Muitas vezes inconscientemente, há comportamentos que temos, aparentemente inocentes, que se revelam prejudiciais. Se está decidido a perder peso e a fazer uma dieta, terá de tentar evitar quatro erros que poderão pôr todo o seu empenho e todo o seu esforço em causa. Se seguir as nossas dicas, conseguirará ultrapassar alguns obstáculos e atingir os objetivos definidos, fazendo em definitivo as pazes com a sua balança.

1. Premiar-se com comida

É um erro muito comum. Verifica-se em pessoas que são capazes de comer um pacote de batatas fritas sozinha mas, depois, continuam com fome, em pessoas que não conseguem explicar como se sentem e também em pessoas que comem quando estão stressadas, tristes ou chateadas. Para algumas pessoas, comer é uma maneira simples de combater certo tipos de sentimentos. Revê-se nesta descrição?

O problema é que a maioria dos produtos que se comem nessas alturas contêm hidratos de carbono, um nutriente responsável pela produção de serotonina, que nos faz sentir bem. Existem várias formas de superar esta situação, sendo uma delas comer sempre (e apenas) à mesa. Quando come em frente à televisão ou de pé, não se apercebe da quantidade que ingere. Se se sentar tranquilamente à mesa, terá mais noção do que come.

Escreva um diário. Compre um caderno e ande sempre com ele para apontar tudo o que come. Talvez vá constatar que come pior nos dias em que se sente pior. Pense também em possíveis soluções sem ter de recorrer ao estômago. Para além desses, recomendamos-lhe ainda outro truque. Respire profundamente três vezes antes de começar a comer. Assim, vai relaxar e a ansiedade que pode sentir pela comida desaparece.

Pergunte a si próprio se tem fome e, se respondeu que não, modere as quantidades ingeridas, como aconselham muitos dietistas e nutricionistas. Por fim, distraia-se. Se o seu dia foi um desastre, aproveite para fazer algo que goste e que não seja assaltar o frigorífico. Elabore uma lista de 20 atividades que lhe dão prazer e, sempre que sentir vontade de atacar o frigorífico, dedique-se a uma delas.

2. Deixar-se influenciar pelos outros

Nalgumas ocasiões, as pessoas que nos rodeiam não são capazes de perceber o quanto nos esforçamos para mudar de aspeto, o que complica a tarefa. Isto faz com que, às vezes, ocorram situações como ser a única pessoa que conhece que está a tentar perder peso com uma dieta. Está a rever-se neste cenário? Quando come com os seus amigos, opta por pratos que normalmente recusaria? Então faz mesmo parte deste grupo!

Existem também situações em que o seu parceiro não está disposto a ter uma vida mais ativa e não o acompanha, o que dificulta o processo, uma vez que são vários os estudos que confirmam que emagrecer a dois é mais fácil. Muitas pessoas que começam um regime acabam por abandoná-lo porque todas as pessoas que conhecem minam as suas intenções. Também já sucedeu consigo?

Se for o caso, também aqui há coisas que pode fazer para o contrariar. Em primeiro lugar, expresse as suas necessidades sem receios. À partida, a sua família e os seus amigos não querem estragar a sua dieta. Simplesmente, pode não lhes ter dito o quão importante, para si, é o regime de perda de peso que anda a procurar seguir. Quando o fizer com segurança, sentirá o seu apoio, deixe bem claro as suas intenções.

3. Não ter uma vida saudável

É um dos erros mais comuns e são muitas as pessoas que o cometem. O saudável custa sempre mais, pelo que, se tem sempre uma desculpa para não cumprir a dieta, pensa que é incapaz de renunciar aos pequenos vícios e prazeres culinários, premeia-se com comida cada vez que está cansado ou stressado ou perde peso, mas recupera-o sempre, faz forçosamente parte deste grupo. Para superar o problema, pegue numa caneta.

Elabore um guia e trace um plano de emergência. Se fez um diário do que come, já sabe reconhecer os seus padrões de conduta alimentar e, entre eles, encontrará, com certeza, um que a faz renunciar a uma vida equilibrada. Pode, por exemplo, ter sempre uma razão para não ir ao ginásio, mas experimente escrever, debaixo das suas desculpas, um plano alternativo, como voltar a casa dando um passeio, em vez de usar o carro.

Arranje companhia. Combine com um amigo fazerem exercício físico juntos. Se sente que alguém depende de si será mais difícil aborrecer-se ou desistir. Converta o exercício num hobby, transformando-o numa atividade prazeirosa. Valorize o seu esforço como algo que faz para ganhar saúde e não apenas para perder peso. Assim, os seus hábitos transformar-se-ão a longo prazo e será mais difícil recuperar os quilos perdidos.

Uma atitude positiva melhora os resultados e uma vida saudável garante-os. À medida que for adotando estas estratégias, visualize os resultados. Elabore uma imagem mental para usar sempre que está prestes a deixar o exercício e a dieta. Imagine-se, por exemplo, em três cenários diferentes onde poderá desfrutar do novo peso.

Por fim, avance devagar. As pequenas mudanças são mais simples de atingir do que as grandes alterações e são uma motivação para metas mais elevadas.

4. Não gostar do seu físico

Muitas pessoas decidem fazer dieta por terem um baixo nível de autoestima e uma imagem negativa do seu físico. Se este é o seu caso, já deve ter pensado, mais do que uma vez, que o seu corpo não corresponde à sua personalidade, acreditando ainda que só será feliz depois de ter emagrecido. Para além disso, é muito autocrítico e não consegue ver a parte positiva do seu físico. Mas lembre-se que todas as pessoas a têm!

Aceitar-se como é, é o caminho mais sensato e rápido para ser feliz e não se sentir deprimido se não vir os resultados que esperava antes de iniciar a dieta. Não pense que ficará fantástico depois do regime alimentar, pois haverá sempre coisas a melhorar. Até os supermodelos têm defeitos e, não fosse o recurso a programas de manipulação e tratamento digital de imagens como o Photoshop, muitos deles seriam notórios.

Para superar o problema, conceda a si próprio meia hora diária. Use este tempo para se dedicar a uma atividade que o relaxe, como o ioga, o tai chi ou, inclusivamente, escutar música calma, uma opção que o ajudará a sentir-se melhor. Escrever uma lista é outra solução. Inclua nela todas as coisas que gosta em si, sejam elas ou não físicas. De seguida, escreva também o que odeia em si e queime a lista.

Esta é uma forma de suprimir esses sentimentos negativos, acreditam muitos especialistas. Além disso, olhe à sua volta. Não se trata de comparar, mas apenas de prestar atenção aos corpos dos que o rodeiam. Parecem-lhe perfeitos? Tão perfeitos como exige do seu? Muitos deles pertencem às pessoas de quem gosta. Por isso, se é capaz de ultrapassar a imagem dos outros, perdoe também os seus próprios defeitos. Pense nisso!

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.