O seu nome científico é Oryza Sativa e acredita-se que as primeiras culturas tenham sido iniciadas há sete mil anos na Ásia.

Na Península Ibérica, o arroz foi introduzido pelos mouros e chegou ao Brasil com a frota de Pedro Álvares Cabral.

Actualmente considerado o segundo alimento mais consumido em todo o planeta, o arroz é um cereal extremamente nutritivo e versátil. E a sua diversidade não se limita aos inúmeros pratos que permite criar: especialistas acreditam que possam existir cerca de 140 mil diferentes espécies de arroz.

Este cereal agrupa-se em duas classes, de acordo com a dimensão dos grãos: curto ou longo. O primeiro, rico em amido, tende a «colar» na cozedura, adquirindo uma consistência cremosa, determinante para alguns pratos, como o sushi, risotto e o arroz doce.

O segundo, de grão longo, é ideal para receitas em que se pretende arroz bem solto. Aqui fica uma selecção das variedades mais emblemáticas.

Arroz selvagem

Chamado pelos índios da América do Norte «comida de Deus», é um arroz aromático de grão longo e fino (negro por fora e branco por dentro).

Contém mais proteínas e fibras do que o arroz comum, sendo uma boa opção para aumentar o teor proteico de uma dieta vegetariana ou para melhorar o trânsito intestinal.

É normalmente misturado com arroz vaporizado ou agulha e fica saboroso condimentado com azeite. Bom acompanhamento para aves, caça, peixe, saladas e pratos exóticos.

Arroz thai

Também conhecido por jasmim, é um arroz de aroma e fragrância especiais, tanto cru como cozinhado. De origem tailandesa, é plantado à mão sem o uso de químicos, sendo um arroz organicamente completo.

A sua textura é macia e húmida e, depois de cozinhado, apresenta o grão solto. Adapta-se bem a diversos pratos.

Arroz basmati

Originário do Paquistão e da Índia, e muito aromático, é considerado o príncipe dos arrozes. Os grãos são longos e, durante a cozedura, aumentam apenas no comprimento, tornando-se ainda mais longos, finos e soltos.

Também existe na versão integral ou vermelha. Neste caso, trata-se de um arroz de coloração avermelhada que, por não ser descascado, possui uma quantidade maior de micronutrientes, fibras e proteína. Acompanha bem todos os pratos.

Arroz integral

O mais rico e nutritivo de todos os tipos de arroz, já que ao ser-lhe apenas retirada a casca e ao não ser polido, preserva a sua película envolvente e o gérmen onde se concentram as fibras, sais minerais (fósforo, ferro e cálcio) e vitaminas do complexo B.

Existem três tipos de arroz integral: o cateto, o agulha (longo) e o vermelho. A diferença entre eles reside no formato e na cor, sendo os valores nutricionais basicamente idênticos.

Pode ser usado como acompanhamento, em saladas e até para rechear legumes.

Veja na página seguinte: A variedade que tem um período de conservação superior a todas as outras

Arroz vaporizado

Nesta variedade, o grão inteiro é mantido em água a ferver por um período de oito horas, um método tradicional realizado há dois mil anos na Índia e Paquistão.

Este processo deixa a casca solta e facilita a moagem dos grãos. Este tipo de arroz tem um valor nutricional mais elevado, pois é rico em fibra, minerais e as vitaminas são conduzidas para interior do grão, e não se perdem durante a moagem.

Fica sempre solto e tem um período de conservação superior aos outros tipos de arroz.

Arroz arbóreo

Variante italiana de grão médio/curto e grosso, de coloração levemente amarelada e com textura cremosa, é o mais indicado para fazer risotto, pois contém grande quantidade de amido e, permanece com a parte central firme, mesmo depois de um longo período de cozedura.

Por norma, é cozido num caldo e temperado com vinho, o que confere mais sabor ao prato.

Arroz carolino

É uma das variedades preferidas da culinária nacional, logo a seguir ao agulha.

Possui um grão curto que absorve os paladares de ingredientes ou alimentos com os quais é cozinhado, sendo por isso, o tipo de arroz ideal para confeccionar pratos tipicamente portugueses, como por exemplo o arroz de marisco, o arroz de tomate, o arroz de feijão, o arroz de cabidela, assim como o famoso arroz doce.

Sabia que...
50 por cento do arroz consumido em Portugal é do tipo agulha.

Dica
Acredita-se que o segredo da «ausência» de celulite nas mulheres asiáticas se deve à sua alimentação à base de arroz.

À lupa
Descubra as principais qualidades nutricionais do arroz:

É uma importante fonte de minerais (fósforo, ferro e potássio) e vitaminas (tiamina, riboflavina e niacina).

Composto por amido, é um alimento energético e rico em hidratos de carbono (tem um valor calórico médio e é de absorção lenta).

Não contém praticamente gordura nem colesterol.

Regula a flora intestinal e auxilia na prevenção de doenças do sistema digestivo e do coração.

É hipoalergénico e não contém glúten.

A sua versão integral é rica em silício, útil na prevenção da osteoporose.

Texto: Mariana Menezes
Foto: Artur (com produção de Mónica Maia)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.