Cada indivíduo tem uma genética única com necessidades nutricionais específicas. Por este motivo, uma dieta com base na genética é duas a três vezes mais efetiva do que uma dieta convencional.

Dessa forma, é possível tirar maior partido da alimentação e evitar desperdícios do ponto de vista nutricional.

Outra das vantagens na nutrigenética é o seu papel na prevenção de doenças e carências alimentares.

Por outro lado, uma análise nutrigenética permite conhecer os genes de cada pessoa a fim de determinar qual a dieta mais apropriada para conseguir um estado de saúde ótimo e prevenir o maior número de doenças.

Existe um teste que identifica 128 variantes genéticas (SNPs) em 95 genes relacionados com a nutrição, desporto, adições (álcool e nicotina), metabolismo e envelhecimento.

A análise nutrigenética pode indicar:

- O seu risco para sobrepeso

- A sua resposta às diferentes gorduras e hidratos de carbono

- O tipo de dieta indicado para si

- A influência dos seus genes nos vários metabolismos

- Que vitaminas e minerais necessita

- Perceção do sabor doce, amargo, compulsão alimentar e insaciedade

- Quais os metabolismos mais eficazes

- A sua capacidade de desintoxicar-se e anti oxidar-se

- Qual o tipo de exercício físico mais adaptado aos seus genes

- A sua tendência para lesões

- Qual a sua velocidade de envelhecimento

- Adições a álcool, açúcar e nicotina

Ainda que 99% da nossa estrutura genética seja completamente idêntica, existem aproximadamente 10 milhões de variações genéticas ou polimorfismos entre os indivíduos.

De acordo com estes polimorfismos, as necessidades nutricionais de cada indivíduo são muito específicas.

Um enfoque nutricional personalizado é essencial e absolutamente necessário para uma dieta ótima que permitira um melhor funcionamento do seu corpo e prevenção de doenças.

Os conselhos são da farmacêutica Alexandra Vasconcelos das Clínicas Viver.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.