Investigadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, conseguiram ao bloquear determinados "vasos linfáticos" que não se engorde ao comer em excesso.

A descoberta poderá revolucionar a forma como comemos. Anne Eichmann e Feng Zang pretendiam estudar a obesidade mórbida em ratinhos de laboratório e para isso inibiram dois genes no intestino dos ratinhos.

Com a ajuda de fármacos, os cientistas bloquearam alguns vasos linfáticos deste animais, mas o resultado surpreendeu o grupo de investigação: mesmo com uma dieta rica em gordura, os animais mantiveram o peso inicial.

Gordura excretada pelo intestino

Com a modificação provocada nos vasos linfáticos, os ratos deixaram de absorver a gordura e passaram a excretá-la evitando, assim, o aumento de peso.

"Criamos um rato que come gordura mas não engorda", concluiu Eichman, num estudo publicado esta semana na revista científica "Sciente".

De acordo com o artigo, os linfáticos capilares atuam como porta de entrada dos ácidos gordos, permitindo que estes sigam para a corrente sanguínea, convertendo-se em energia ou gordura.

Os investigadores descartam, para já, a possibilidade de aplicar a técnica a seres humanos, no entanto frisam que o estudo poderá abrir portas para novas formas de combater a absorção de gordura pelo organismo humano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.