Antes e depois das férias de verão ou dos grandes períodos festivos, como o Natal e a Páscoa, nada como uma operação detox para purificar o organismo, libertando-o de toxinas desnecessárias. Nos últimos anos, surgiram no mercado produtos que também têm essa função, mas nada como recorrer a uma solução mais natural e económica para alcançar esse objetivo. Estes são cinco dos alimentos a que pode recorrer.

1. Limão

Antioxidante e rico em vitamina C, deve ser consumido, em sumo, ainda em jejum, misturado com água. "A primeira coisa a beber de manhã com um copo de água morna. Como tempero numa salada, e, como é alcalinizante, equilibra o organismo", refere Teresa Barata Alves, health coach. "Atenção que não é preciso colocar o sumo de um limão, mas apenas algumas gotas. Se tiver o esmalte dos dentes mais sensível beba-o com uma palhinha", adverte a especialista.

2. Sumo verde

A receita é simples. "Use 70% verduras e 30% de fruta", sugere a conselheira de saúde. "Depois, é só colocar numa misturadora e beber devagar", recomenda Teresa Barata Alves. Muito em voga, estes batidos devem ser tomados "logo de manhã, a seguir ao copo de água quando acorda", sugere. "Na meia hora seguinte não coma mais nada. Ao fim desse tempo, se o organismo pedir por mais alimento, tome o pequeno-almoço", aconselha a health coach.

3. Pera-abacate

Pouco consumida em Portugal, há muito que é usada noutros países. "Pode ingeri-la a todas as refeições. Mas é um alimento muito calórico. Não abuse", adverte, contudo, Teresa Barata Alves. A melhor forma de a consumir é "misturada nos smoothies, ao pequeno-almoço com uma tosta, para juntar a uma salada ao almoço", esclarece a especialista.

4. Sementes de linhaça 

À semelhança de outras e tal como as de chia, estas sementes podem ser integradas na alimentação "a qualquer altura do dia", refere Teresa Barata Alves. "É preciso não exagerar na quantidade e ir variando", avisa, contudo. "Eu gosto de as colocar nos smoothies, na granola e a meio da manhã como snack", confessa a consultora de saúde.

5. Óleo de coco

Também ainda pouco usado em Portugal, é bom "para cozinhar, em alguns smoothies, na granola e, claro, na pele e no cabelo", sugere Teresa Barata Alves. "É uma boa fonte de gordura saturada, e, tal como a manteiga, uso-o para cozinhar em temperaturas elevadas, quando não posso", assume a especialista.

Texto: Joana Brito

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.