O óleo de palma é uma gordura vegetal que faz parte da composição de muitos alimentos. Batatas fritas, molhos, refeições preparadas, pastas para barrar e produtos de padaria e pastelaria (bolachas, biscoitos, massas para tartes e croissants) são alguns dos exemplos.

O principal risco para a saúde do consumo excessivo de alimentos com óleo de palma deriva do facto de ser uma gordura rica em ácidos gordos saturados nocivos (cerca de 50 por cento). Estes ácidos gordos saturados são considerados prejudiciais para a saúde porque aumentam o “mau” colesterol (LDL) no sangue, que potencia o desenvolvimento de obesidade e doenças cardiovasculares.

A par do óleo de palma, também o óleo de coco, a manteiga de cacau e a maioria das gorduras de origem animal são ricos em ácidos gordos saturados. Assim, mesmo que, por norma, as gorduras vegetais sejam consideradas mais saudáveis, esta não é uma verdade absoluta. Deve, por isso, preferir sempre gorduras com menor teor de ácidos gordos saturados.

Descubra a gordura mais saudável e compare a percentagem de ácidos gordos saturados e insaturados de diferentes gorduras neste artigo da DECO PROTESTE.

Consulte também a quantidade diária aconselhável de ácidos gordos saturados e algumas recomendações para uma ingestão de gorduras integrada numa dieta equilibrada e saudável.

Analise os rótulos

Para saber se está a comprar produtos com óleo de palma na sua composição, basta ler os rótulos, onde a identificação deste ingrediente é obrigatória. Há também fabricantes que optam por destacar a afirmação “sem óleo de palma” nos rótulos dos seus produtos.

O uso frequente deste ingrediente deve-se a uma lista de características ideais para muitos produtos alimentares, bem como ao seu preço. O óleo de palma conserva-se facilmente, é bastante resistente ao ranço, não tem cheiro nem sabor e proporciona uma consistência cremosa (ou sólida à temperatura ambiente) a preparados, como refeições prontas e molhos consistentes.

É produzido em massa em regiões como a América do Sul, e, comparativamente a outras gorduras vegetais, fica mais barato porque precisa de menos espaço para ser produzido em maiores quantidades. Um hectare de terreno permite produzir 6 toneladas de óleo de palma, contra 1 tonelada de óleo de colza.

O óleo de palma não refinado possui uma cor entre o laranja e o vermelho e é extraído à pressão e a frio da polpa do fruto da palmeira Elaeis guiineensis. Esta árvore dá-se em climas com condições específicas: precisa de temperaturas médias de 25°C a 30°C, combinadas com uma taxa de humidade de 60%, no mínimo. Só algumas regiões do mundo têm condições para produzir este óleo, como a África Central, a América do Sul e o continente asiático.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.