Cada hora por dia que uma criança gasta online faz aumentar em um quinto as possibilidades de comprar e ingerir chocolates e a chamada junk food, ou “comida de plástico”, revela um novo estudo citado pelo jornal britânico The Telegraph. As crianças pequenas que dispendem pelo menos meia hora por dia online duplicam as possibilidades de gastar a semanada naquele tipo de alimentos, comparativamente com as que passam menos tempo na internet, concluiu também este estudo realizado pelo Cancer Research UK e a Universidade de Liverpool.

Os investigadores analisaram o comportamento de quase 2.500 crianças do ensino primário que passavam uma média de duas horas por dia online, depois de realizarem os trabalhos de casa, aumentando esse período para três horas aos fins de semana. Aqueles que gastavam mais de três horas por dia no computador ficavam quatro vezes mais propensos a comprar chocolates, batatas fritas e bebidas açucaradas, em comparação com os que que passavam menos de 30 minutos por dia online. Eram também 79% mais propensos a sofrer de excesso de peso ou obesidade. Cada hora extra online em sites como o YouTube, Facebook e Pepper Pig promovia um aumento de 19% nas probabilidades de essas crianças gastarem a semanada naquele tipo de alimentos. As crianças que gastavam mais tempo online também eram mais propensas a insistir com os pais para comprarem alimentos açucarados e gordurosos, revelou o mesmo estudo.

Entretanto, o governo britânico anunciou um plano especial de redução da obesidade infantil até 2030. Está prevista a criação de um separador televisivo a passar antes da emissão de anúncios a alimentação não saudável. Os investigadores frisam que os resultados mostram a necessidade de proteger as crianças de anúncios online sobre junk food.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.