"Os serviços de vacinação são essenciais. Caso sejam interrompidos, devem ser adotadas medidas para a sua retomada o mais rápido possível", afirmou o diretor da unidade europeia da Organização Mundial da Saúde, Hans Kluge, em uma conferência de imprensa online a partir de Copenhaga.

"Não podemos permitir que o impacto da COVID-19 se agrave descuidando outras medidas vitais de proteção da saúde", completou.

A OMS Europa está especialmente preocupada com o retorno do sarampo, que afetou 6.000 pessoas nos dois primeiros meses do ano. "A imunização nunca foi tão importante", explicou Siddharta Datta, especialista em vacinas da OMS.

"O sarampo e outras doenças infecciosas estão muito presentes entre nós. O momento de prevenir é agora", completou.

Para alcançar o objetivo, o sistema de saúde deve funcionar de maneira paralela ao atendimento dos pacientes do novo coronavírus.

A unidade europeia da OMS, que vai do Atlântico ao Pacífico e compreende 53 países tão heterogéneos como a Rússia ou Andorra, tem mais de 1,4 milhões de casos oficiais e 129.344 mortes provocadas pelo coronavírus.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.