Os fungos designam-se como seres heterotrófico e, como tal, alojam-se debaixo da unha alimentando-se da mesma para obter a sua energia acabando por “apodrecê-la”.

As infecções fúngicas das unhas são geralmente causadas por um fungo que pertence a um grupo denominado dermatófitos, que também pode causar infecções nos pêlos do corpo e na pele, como no caso das dermatomicoses (pé de atleta). Outro grupo de fungos que também pode causar micose de unha são as leveduras. Em geral, as leveduras causam onicomicose nas mãos e os dermatófitos provocam onicomicose nas unhas dos pés.

Os meios propícios para o desenvolvimento de fungos são os ambientes húmidos, quentes e fechados (que não sejam permeáveis e impermeáveis ao mesmo tempo).

As manifestações clínicas da onicomicose caracterizam-se pelo:

  • Descolamento da unha, geralmente pelos cantos da unha e ficando oca;
  • Espessamento ungueal: as unhas ficam endurecidas e grossas, podendo esta situação causar dor;
  • Manchas brancas na superfície da unha, denominando-se pela presença de leuconíquia;
  • Destruição e deformidades: neste caso a unha fica frágil, quebradiça e acaba por se deformar;
  • Paroníquia: esta situação traduz-se pelo contorno ungueal inflamado, dorido, inchado e avermelhado, o que leva a alteração da formação da unha;

Os cuidados a ter para evitar as micoses:

  • Não andar descalço, principalmente em pisos húmidos;
  • Ao mexer eventualmente em terra, opte por usar sempre luvas e calçado fechado;
  • Ao escolher o seu calçado, tenha preferência por calçado ligeiramente largo, permeável e impermeável ao mesmo tempo;
  • Uso de meias de algodão;
  • Higienize diariamente os pés, secando-os muito bem sobretudo entre os dedos;
  • Não corte as cutículas;

Qual o melhor tratamento?

A terapêutica oral deve ser sempre bem vigiada devido à sua hepatoxicidade, aos seus efeitos secundários e outros sinais e sintomas, que provocam mal-estar, nomeadamente vómitos, náuseas, dores de cabeças e outros efeitos secundários que tendem a desaparecer.

É importante salientar que os medicamentos orais (comprimidos) não devem ser tomados por um período superior a 4 meses devido à toxicidade. Logo, esta terapêutica só é aconselhada em casos pontuais e sempre acompanhada pelo podologista.

Os vernizes ou soluções ungueais, quando se é atento e se vai ao podologista no início da infecção, são suficientes, devem ser aplicados de acordo com o aconselhamento do especialista e acompanhados com uma limpeza da unha mensalmente com técnicas próprias realizadas para a regeneração ungueal e para avaliar se efetivamente a melhoria está como esperado.

De salientar que o tratamento é demorado, uma vez que depende do crescimento de toda a lâmina ungueal (unha), podendo demorar em média 12 meses ou mais, dependendo de cada caso.

Existe ainda a laserterapia ou tratamento a laser das onicomicoses. A pesquisa científica aliada ao desenvolvimento tecnológico encontrou um tratamento mais eficaz que diminui a duração dos tratamentos, ao perceber que os fungos são sensíveis ao calor e se destroem a uma temperatura sensivelmente entre 40 e 60º celsius.

Assim, a destruição mais rápida do fungo leva a um maior êxito na cura: é este o objetivo do laser. Porém, nem todas as pessoas podem realizar laserterapia, nomeadamente os doentes com neoplasias ou com neuropatia sensitiva. Assim, os custos, benefícios e contraindicações têm sempre que ser avaliados entre o paciente e o seu podologista de forma a estruturar o tratamento e a saber se efetivamente o laser é aconselhado para a sua situação.