É rico em metilxantinas como a teofilina e a teobromina e, sobretudo, em cafeína, que ativa as funções cerebrais, previne as doenças neurológicas e melhora a função pulmonar em doentes asmáticos. Em algumas pessoas, reduz as enxaquecas e cefaleias. Contém, ainda, constituintes amargos com ação estimulante dos sucos gástricos.

Integra ainda compostos fenólicos e potássio, uma substância com ação diurética. Segundo um estudo realizado em 2006 pela Universidade de Harvard, em Cambridge, no Massachusetts, nos EUA, tanto o consumo do café tradicional como do café descafeinado está associado a uma menor prevalência de diabetes tipo 2. Uma meta-análise realizada na Alemanha, publicada em 2010 no European Journal of Gastroenterology Hepatology, também o enaltece.

Essa investigação científica apurou que os consumidores de café têm menor risco de cirrose e de carcinoma hepático e que os seus valores hematológicos são melhores que nas pessoas que não o consomem. Os benefícios desta bebida para a saúde não se esgotam, contudo, aqui, como também reconhece o naturopata João Beles. É, ainda, benéfica para o cérebro e para o fígado. Ingerir entre três a cinco chávenas por dia aumenta a longevidade, defendem vários estudos.

As principais propriedades

É considerado um tónico do sistema nervoso e antidepressivo. Também ajuda a manter o estado de vigília, ativa a função cerebral e melhora a capacidade de estudo, de atenção e de trabalho. Estudos científicos internacionais recentes apontam ainda para uma redução da prevalência de doenças neurodegenerativas, como é o caso do alzheimer e do parkinson, em consumidores habituais de café, que ingerem em média entre uma a três chávenas por dia.

Esta planta tem ainda um reconhecido efeito termogénico. Aumenta a temperatura nas células adiposas, ajudando a produzir energia e, consequentemente, dessa forma, a reduzir o peso. Mais ativas, as pessoas tendem a mexer-se mais e, com isso, a gastar mais calorias. Também é um reconhecido inibidor de apetite, o que acaba por ser outra vantagem. Melhora ainda a capacidade física para o exercício, estimula a digestão e favorece o trânsito intestinal.

As formas de administração recomendadas

São utilizadas as sementes do cafeeiro, normalmente, torradas. O grau de torrefação interfere com o sabor e com os benefícios da bebida, como apurou um estudo científico da American Chemical Society (ACS), tornado público no início de abril de 2020. Também já existem no mercado comprimidos de café não torrado, que contêm uma maior quantidade de antioxidantes e que mantêm intactos os princípios ativos degradados quando é torrado.

As precauções que os especialistas recomendam

Em certas pessoas, o consumo do fruto do cafeeiro pode causar excitabilidade e insónia. Estudos publicados  recentemente não confirmam a tese amplamente difundida de que o café pode fazer  subir a pressão arterial. Pelo contrário, o seu efeito antioxidante pode reduzir a disfunção endotelial que, por vezes, leva a uma inflamação das artérias, um mecanismo fisiopatológico que está na génese de uma grande parte dos quadros hipertensivos.

Remédios caseiros com café que pode preparar em casa

Duas ideias, validadas pelo naturopata João Beles, a pôr em prática oportunamente:

- Enemas de café

Existe uma forte tradição no norte da Europa e da América de fazer clisteres com café, de forma a limpar o cólon, evitando a acumulação de toxinas que podem ser reabsorvidas pelo sistema linfático. A dose pode ser de um café para meio litro de água. Aplique-o através de uma cânula ou de um clister, com o corpo colocado em posição lateral, idealmente virado para o lado esquerdo. Espere entre cinco a uma dezena de minutos se possível e evacue.

- Pequeno-almoço com café

Pode optar por fazer um galão com leite de soja ou de aveia. Em Portugal, existe o hábito de tomar o pequeno-almoço com bebidas feitas com café e com outros cereais torrados, como é o caso da cevada ou da chicória. Estas são, no entanto, duas alternativas a considerar para diversificar as suas refeições matinais. Também as pode ingerir nas suas pausas. Existem versões solúveis, como o Mokambo, uma bebida de cereais com café, para preparar com água ou com leite.

Revisão científica: João Beles (naturopata)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.