Depois do alerta à volta do parasita do sushi, um novo estudo adverte para o risco do consumo de caracóis e caranguejos infetados por um verme raro.

Em todo o mundo há cerca de três mil registos de contaminação pelo parasita Angiostrongylus cantonensis. Este verme que nasce nos pulmões de ratos pode infetar o ser humano através da ingestão de caracóis, lagostins, caranguejos ou centopeias, entre outros animais.

Segundo um estudo publicado em julho no The American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, o consumo de uma centopeia crua levou uma mulher a dar entrada num hospital de Guangzhou, na China, em novembro de 2012.

Crus ou mal cozinhados

Após uma bateria de exames, os médicos detetaram um elevado número de eosinófilos, um tipo de glóbulos brancos, no sangue, o que deu a indicação da existência de uma infeção parasitária.

Mais análises permitiram chegar ao diagnóstico final: meningite eosinofílica.

Os ratos infetados, transmissores, defecam as larvas de vermes, que por sua vez caracóis, lesmas, caranguejos e lagostins, entre outros, podem ingerir e transmitir ao ser humano se ingeridos crus ou cozinhados de forma deficiente.

Uma vez no organismo, os vermes podem chegar ao cérebro humano.

A infeção por Angiostrongylus cantonensis pode ainda afetar o sistema nervoso central, causar inflamação cerebral, meningite eosinofílica, paralisia e, em casos extremos, a morte.

Não há, no entanto, registo de casos de infeção por este parasita em Portugal.