James Quincey, da Coca-Cola, e Ramon Laguarta, da Pepsi, que poucas vezes comparecem juntos nos mesmos eventos, participaram num debate sobre a "Transformação da economia do plástico", um tema recorrente esta semana no Fórum Económico Mundial (WEF) de Davos.

As duas marcas fazem parte da chamada Alliance to End Plastic Waste, anunciada em janeiro e que reúne cerca de 30 multinacionais.

"Podemos reduzir a quantidade de plástico no sistema e ao mesmo tempo no nosso setor de bebidas e de alimentação", disse o presidente da Pepsico, Ramon Laguarta, que prometeu a introdução de mudanças nos produtos nos próximos anos.

"Sou otimista, antes de 2030 não teremos resolvido completamente o problema mas teremos feito grandes progressos", afirmou respondendo a uma pergunta sobre a possibilidade de resolver o problema em dez anos.

Já o presidente da Coca-Cola, James Quincey, também se comprometeu com este objetivo e ressaltou que em alguns países, como México ou África do Sul, a proporção de garrafas recicladas passou de 10% para 70%.

No entanto, nenhuma das duas companhias planeia reduzir drasticamente o uso do plástico, como pedem alguns defensores do meio ambiente.

"Temos que recuperar as garrafas" de plástico para reciclá-las e criar uma economia circular, disse Quincey, que aposta na "inovação" para criar materiais mais ecológicos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.