Eusébio Macete disse, em declarações à emissora pública Rádio Moçambique, que a reorientação dos laboratórios do CISM vai permitir a realização de 100 testes do novo coronavírus por dia.

Macete avançou que os técnicos dos laboratórios da instituição também receberam uma capacitação para a testagem de amostras de COVID-19.

O diretor do CISM adiantou que a instituição está a colaborar com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para uma contribuição nos esforços internacionais de busca de uma vacina contra a COVID-19, através da capitalização da sua experiência na pesquisa de vacinas contra a malária.

Moçambique conta 13 óbitos e 1.946 casos de COVID-19.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 689 mil mortos e infetou mais de 18,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.