As enxaquecas, mais do que uma simples dor de cabeça, afetam cerca de 10% da população portuguesa. A causa mais comum é a dilatação dos vasos sanguíneos da cabeça devido a uma componente genética associada a fatores alimentares, emocionais, ambientais, hormonais ou farmacológicos. A dor, intensa e com pontadas, pode ser acompanhada de irritabilidade, náuseas, falta de apetite e intolerância à luz e ao ruído.

Nalguns casos, pode também vir associada a uma intolerância aos cheiros mais intensos. Para as combater, propomos-lhe, de seguida, três soluções naturais a que pode recorrer para se livrar daquela que é a doença neurológica mais comum nos países desenvolvidos:

1. Coloque compressas frias na zona onde a dor se concentra

Prepare uma infusão de camomila, menta e erva-cidreira, uma saqueta de cada, em três quartos de litro de água a ferver. Deixe repousar durante cerca de 10 minutos e retire as saquetas. Uma vez fria, coloque-a no frigorífico para usar sempre que precisar.

2. Tome tanaceto

Ingira 200 miligramas desta planta medicinal de quatro em quatro horas, complementado com três infusões por dia de uma mistura de camomila, erva-cidreira, menta, tília, gengibre ou valeriana. Se sabe quando lhe vai aparecer a enxaqueca, em 60% dos casos ocorrem sintomas premonitórios como alterações no humor, comportamento, apetite e nível de energia, inicie este procedimento de imediato.

3. Faça o teste dos alimentos

Para a prevenir, evite café, leite, amendoins, carne de porco, chocolates, citrinos, queijo curado, vinho tinto e refrescos e refrigerantes tipo cola. Depois, volte a introduzi-los aos poucos, um a um, tentando, desta forma, perceber qual ou quais lhe provoca(m) e/ou agrava(m) a enxaqueca.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.