Do número de pessoas assistidas, 25 foram vítimas de acidentes de viação, 23 vítimas de agressão física e 24 sofreram queda, disse a médica de clínica-geral do HCM, Ivânia Marcos, em conferência de imprensa.

"Não tivemos momentos alarmantes em relação em relação a outros dias", afirmou.

O HCM também assistiu cinco casos de queimaduras causados por objectos pirotécnicos.

A médica de clínica-geral do HCM defendeu que as populações moçambicanas estão cada vez mais conscientes dos perigos de uso de objectos pirotécnicos.

Na primeira manhã de Janeiro, o HCM registou a entrada de "poucos" pacientes.

Entretanto, foi registado um óbito, vítima de doença, situação não ligada a transição de ano.