O marido e o cunhado de Rita Sarkar foram detidos depois da indiana ter apresentado queixa às autoridades alegadamente por ambos terem orquestrado e executado um plano para lhe roubarem um rim, informa a BBC.

Rita Sarkar sentiu uma forte dor de estômago e foi levada para o hospital pelo marido. Nessa unidade de saúde privada, a mulher foi submetida a uma operação de remoção do apêndice. Dois anos depois, a Rita Sarkar descobriu que também lhe retiraram um rim durante a cirurgia.

A indiana começou a sentir fortes dores na zona lombar meses depois do procedimento cirúrgico e após vários exames médicos foi-lhe dito e confirmada que o rim direito de Rita tinha sido removido.

"O meu marido levou-me para uma casa de repouso privada em Kolkata, onde ele e a equipa médica me disseram que eu ficaria bem depois de retirar o apêndice que estava inflamado", recordou a indiana ao jornal local Hindustan Times.

Não pagou dote

"Ele vendeu o meu rim, porque a minha família não pagou o dote que ele exigia", disse ainda a mulher ao referido jornal.

Na Índia é tradição, sobretudo em zonas rurais, as mulheres pagarem um dote ao marido no dia do casamento, embora a prática seja proibida por lei desde 1961.

O marido e cunhado de Rita foram detidos na segunda-feira e acusados de tráfico de órgãos, tentativa de homicídio e tortura. Existe um terceiro detido no âmbito do caso, mas não foi revelada a sua identidade nem o motivo.

Segundo fonte policial citada pelo jornal britânico "The Telegraph", as suspeitas recaem sobre o envolvimento de uma rede criminosa neste crime.